Banco de dados de questões do vestibular Ufrn
questões de vestibulares
|

 

Questões Ufrn

REF. Pergunta/Resposta
origem:Ufrn-2002
tópico:
Eletricidade

sub-grupo:

pergunta:Max, um modesto inventor, está preocupado com a possibilidade de faltar água em sua residência. Consciente do precário sistema de abastecimento, ele resolveu monitorá-lo, observando cuidadosamente como o nível da água no reservatório estava variando durante o dia. Para ter esse controle, Max projetou um dispositivo que lhe fornece as informações desejadas sem que haja necessidade de subir ao telhado da casa para verificar o nível da água do reservatório. Tal dispositivo, esquematicamente ilustrado a seguir, contém:

- uma bateria;
- um resistor ôhmico de resistência Ri, do indicador do nível da água;
- um resistor ôhmico de resistência variável Rv, sensível a mudanças na altura do nível da água do reservatório, assumindo valores desde Rv=0, quando o reservatório está cheio, até Rv=r, quando ele está vazio.

imagem não disponivel


Sabe-se que:
V = R.I
P = R.I²
Re = Rv + Ri
em que:
V = diferença de potencial na resistência R;
P = potência dissipada na resistência R, quando percorrida por uma corrente I;
Re = resistência equivalente.

Considerando o projeto de Max, é correto afirmar que
a) a corrente varia linearmente com a resistência equivalente.
b) a resistência equivalente do circuito será mínima, quando o reservatório estiver vazio.
c) a potência dissipada no circuito é constante, independentemente do nível da água.
d) a corrente no circuito será máxima, quando o reservatório estiver cheio.



resposta:
[D]

origem:Ufrn-2002
tópico:
Optica

sub-grupo:Espelhos Esféricos

pergunta:A Lua, com seus encantos, esteve sempre povoando a imaginação dos artistas e estimulando grandes idéias nos homens da ciência. Palco de grandes conquistas científicas, o ambiente lunar, comparado com o da Terra, possui um campo gravitacional fraco, o que torna impossível a manutenção de uma atmosfera na Lua. Sem atmosfera não há nada que filtre a radiação solar ou queime os meteoritos que freqüentemente caem e criam crateras no solo lunar.

Após esse breve comentário sobre a Lua, professora Luana apresentou um painel ilustrando uma situação vivida por dois astronautas, Brian e Robert. No painel, constava o panorama do solo lunar cheio de crateras, um céu escuro, bem diferente do normalmente azulado aqui da Terra, e um belo flagrante da imagem de Brian refletida no capacete de Robert. Luana afirma que o capacete de Robert está funcionando como um espelho esférico convexo.

Comunicação entre Robert e Brian por transmissão eletrônica

imagem não disponivel


Considerando as informações e as imagens apresentadas, podemos concluir que
a) a imagem do capacete de Robert é real, e o tempo de queda na experiência de Brian é o mesmo para qualquer corpo.
b) a imagem no capacete de Robert é virtual, e o impacto do meteorito não é audível pelos astronautas.
c) o impacto do meteorito é audível pelos astronautas, e o tempo de queda na experiência de Brian é o mesmo para qualquer corpo.
d) a ausência de atmosfera na Lua torna o céu escuro e faz com que os corpos, na experiência de Brian, caiam com acelerações diferentes.



resposta:
[B]

origem:Ufrn-2002
tópico:
Mecanica

sub-grupo:Gravitação

pergunta:O turismo chegou ao espaço! No dia 30/04/2001, o primeiro turista espacial da história, o norte-americano Denis Tito, a um custo de 20 milhões de dólares, chegou à Estação Espacial Internacional, que está se movendo ao redor da Terra. Ao mostrar o turista flutuando dentro da estação, um repórter erroneamente disse: "O turista flutua devido à ausência de gravidade".
A explicação correta para a flutuação do turista é:
a) a força centrípeta anula a força gravitacional exercida pela Terra.
b) na órbita da estação espacial, a força gravitacional exercida pela Terra é nula.
c) a estação espacial e o turista estão com a mesma aceleração, em relação à Terra.
d) na órbita da estação espacial, a massa inercial do turista é nula.




resposta:
[C]

origem:Ufrn-2002
tópico:
Fisica

sub-grupo:Termodinâmica

pergunta:Manoel estava se preparando para a "pelada" dos sábados, quando notou que a bola de futebol estava vazia. Para resolver essa pequena dificuldade, pegou uma bomba manual e encheu a bola comprimindo rapidamente o êmbolo da bomba.
Considerando que

- o ar contido na bomba é o sistema termodinâmico;
- o ar passa da bomba para o interior da bola após completar cada compressão;

podemos afirmar que, numa dada compressão,
a) a compressão do ar é um processo reversível.
b) o processo de compressão do ar é isotérmico.
c) a energia interna do ar aumenta.
d) a pressão do ar permanece constante durante o processo.




resposta:
[C]

origem:Ufrn-2002
tópico:
Mecanica

sub-grupo:

pergunta:Mestre Shinohara, instrutor de artes marciais, demonstra uma técnica de Karatê em uma de suas aulas. A figura ilustra um chute conhecido tecnicamente como yoko-tobi-geri. Nesse chute, o mestre dá um salto projetando-se na direção de seu auxiliar e, num determinado instante, libera o golpe atingindo o alvo (uma tábua).

imagem não disponivel


Face ao ilustrado na figura, podemos afirmar que
a) a força que o pé do mestre faz no alvo é maior do que a exercida pelo alvo sobre seu pé, fato evidenciado pela quebra da tábua.
b) o impulso que o pé do mestre exerce na tábua é igual, em intensidade, ao aplicado pela tábua no seu pé.
c) o centro de massa e de gravidade do mestre não coincidem devido ao movimento que ele imprime às diferentes partes do seu corpo.
d) a energia mobilizada pelo mestre, para arrebentar a tábua durante o golpe, é a energia potencial gravitacional no instante do contato do pé com o alvo.



resposta:
[B]

origem:Ufrn-2002
tópico:
Magnetismo

sub-grupo:

pergunta:

imagem não disponivel

Face à interligação existente entre a eletricidade e o magnetismo, um observador, ao analisar um corpo eletricamente carregado que está em movimento, com velocidade constante, em relação a ele constatará a presença:
a) campos elétrico e magnético cuja resultante é nula.
b) campo elétrico nulo e campo magnético não nulo.
c) campo elétrico não nulo e campo magnético nulo.
d) campos elétrico e magnético não nulos.



resposta:
[D]

origem:Ufrn-2002
tópico:
Mecanica

sub-grupo:

pergunta:

imagem não disponivel

Na execução da coreografia anterior, podemos reconhecer a existência de várias forças atuando sobre a ginasta Cláudia e/ou a corda. Forças de atrito, peso, tração e reação do solo (normal) podem ser facilmente identificadas.
Esse conjunto de forças, aparentemente, não está contemplado no diagrama que mostra as interações fundamentais do universo. Isso pode ser compreendido, pois, em sua essência, as forças
a) de atrito e peso são de origem eletromagnética.
b) normal e peso são de origem gravitacional.
c) normal e de tração são de origem eletromagnética.
d) de atrito e de tração são de origem gravitacional.



resposta:
[C]

origem:Ufrn-2002
tópico:
Mecanica

sub-grupo:

pergunta:Em revista de circulação nacional, uma reportagem destacou a reação da natureza às agressões realizadas pelo homem ao meio ambiente. Uma das possíveis conseqüências citadas na reportagem seria o derretimento das geleiras dos pólos, o que provocaria uma elevação no nível do mar. Devido ao movimento de rotação da Terra, esse efeito seria especialmente sentido na região do equador, causando inundações nas cidades litorâneas que hoje estão ao nível do mar.
Levando-se em conta APENAS esse efeito de redistribuição da água devido ao degelo, podemos afirmar que
a) o momento de inércia da Terra, em relação ao seu eixo de rotação, aumentará.
b) a velocidade angular da Terra, em relação ao seu eixo de rotação, aumentará.
c) o período de rotação da Terra, duração do dia e da noite, diminuirá.
d) o momento angular da Terra, em relação ao seu centro de massa, diminuirá.




resposta:
[A]

origem:Ufrn-2002
tópico:
Moderna

sub-grupo:

pergunta:Bastante envolvida com seus estudos para a prova do vestibular, Sílvia selecionou o seguinte texto sobre Teoria da Relatividade para mostrar à sua colega Tereza:

À luz da Teoria da Relatividade Especial, as medidas de comprimento, massa e tempo não são absolutas quando realizadas por observadores em referenciais inerciais diferentes. Conceitos inovadores como massa relativística, contração de Lorentz e dilatação temporal desafiam o senso comum. Um resultado dessa teoria é que as dimensões de um objeto são máximas quando medidas em repouso em relação ao observador. Quando o objeto se move com velocidade V, em relação ao observador, o resultado da medida de sua dimensão paralela à direção do movimento é menor do que o valor obtido quando em repouso. As suas dimensões perpendiculares à direção do movimento, no entanto, não são afetadas.

Depois de ler esse texto para Tereza, Sílvia pegou um cubo de lado L³ que estava sobre a mesa e fez a seguinte questão para ela:
Como seria a forma desse cubo se ele estivesse se movendo, com velocidade relativística constante, conforme direção indicada na figura 1?
A resposta correta de Tereza a essa pergunta foi:


resposta:
[A]

origem:Ufrn-2002
tópico:
Ondulatoria

sub-grupo:

pergunta:A intensidade de uma onda sonora, em W/m² é uma grandeza objetiva que pode ser medida com instrumentos acústicos sem fazer uso da audição humana. O ouvido humano, entretanto, recebe a informação sonora de forma subjetiva, dependendo das condições auditivas de cada pessoa. Fato já estabelecido é que, fora de certo intervalo de freqüência, o ouvido não é capaz de registrar a sensação sonora. E, mesmo dentro desse intervalo, é necessário um valor mínimo de intensidade da onda para acionar os processos fisiológicos responsáveis pela audição. Face à natureza do processo auditivo humano, usa-se uma grandeza mais apropriada para descrever a sensação auditiva. Essa grandeza é conhecida como nível de intensidade do som (medida em decibel). A figura a seguir mostra a faixa de audibilidade média do ouvido humano, relacionando a intensidade e o nível de intensidade com a freqüência do som.

Faixa de audibilidade média do ouvido humano

imagem não disponivel


1 - Limiar de audição (intensidade mais baixa do som onde começamos a ouvir);
2 - Limiar da dor (intensidade sonora máxima que nosso ouvido pode tolerar);
3 - Região da fala.

Considerando as informações e o gráfico acima, é correto afirmar que
a) na faixa de 2000Hz a 5000Hz, o ouvido humano é capaz de perceber sons com menor intensidade.
b) a freqüência máxima de audição do ouvido humano é 10000Hz.
c) acima da intensidade 10­12 W/m² podemos ouvir qualquer freqüência.
d) ao falarmos, geramos sons no intervalo aproximado de freqüência de 200Hz a 20000Hz.



resposta:
[A]

origem:Ufrn-2002
tópico:
Moderna

sub-grupo:

pergunta:Considerando os processos que ocorrem na lâmpada fluorescente, podemos afirmar que a explicação para a emissão de luz envolve o conceito de
a) colisão elástica entre elétrons e átomos de mercúrio.
b) efeito fotoelétrico.
c) modelo ondulatório para radiação.
d) níveis de energia dos átomos.




resposta:
[D]

origem:Ufrn-2002
tópico:
Moderna

sub-grupo:

pergunta:As lâmpadas incandescentes são pouco eficientes no que diz respeito ao processo de iluminação. Com intuito de analisar o espectro de emissão de um filamento de uma lâmpada incandescente, vamos considerá-lo como sendo semelhante ao de um corpo negro (emissor ideal) que esteja à mesma temperatura do filamento (cerca de 3000 K).
Na figura a seguir, temos o espectro de emissão de um corpo negro para diversas temperaturas.

Intensidade da radiação emitida por um corpo negro em função da freqüência para diferentes valores de temperatura.

imagem não disponivel


Diante das informações e do gráfico, podemos afirmar que, tal como um corpo negro,
a) os fótons mais energéticos emitidos por uma lâmpada incandescente ocorrem onde a intensidade é máxima.
b) a freqüência em que ocorre a emissão máxima independe da temperatura da lâmpada.
c) a energia total emitida pela lâmpada diminui com o aumento da temperatura.
d) a lâmpada incandescente emite grande parte de sua radiação fora da faixa do visível.



resposta:
[D]

 


Próxima Página »

Página 1 de 10