Banco de dados de questões do vestibular Ufrrj
questões de vestibulares
|

 

Questões Ufrrj

REF. Pergunta/Resposta
origem:Ufrrj-1999
tópico:
Historia

sub-grupo:Reforma Religiosa

pergunta:"III - Tem sido hábito, até agora, de certos homens segurar-nos como propriedade sua, visto que o Cristo nos libertou (...). Por isso, julgamos estar garantido que seremos libertados da servidão." (Manifesto dos Camponeses Alemães Revoltados - 1525.) "Deus prefere que existam governos, por piores que sejam, do que permitir à ralé que se amotine, por mais razão que tenha." (Martinho Lutero - Primeira metade do século XVI.) Por mais que Lutero e os camponeses alemães tivessem críticas comuns à Igreja Católica da época, existiam sérios pontos de conflito entre eles. A raiz deste choque está
a) na idéia de que somente aqueles que possuíssem instrução ou títulos podiam manifestar-se contra a Igreja Católica e sua práticas.
b) no apoio mútuo existente entre Lutero e os setores da nobreza alemã que mantinham os camponeses sob servidão.
c) no fato de os camponeses alemães defenderem o respeito absoluto ao dogma da infalibilidade papal, com o que Lutero não concordava.
d) na excomunhão de Lutero pelo papa Leão X, já que os camponeses temiam aproximação com alguém acusado de heresia.
e) no fato de a doutrina luterana defender a salvação do corpo e da alma, enquanto os camponeses só estavam preocupados com a salvação terrena.



resposta:
[B]

origem:Ufrrj-1999
tópico:
historia-Brasil

sub-grupo:Sistema Colonial Brasileiro

pergunta:"Coloquemo-nos naquela Europa anterior ao século XVI, isolada dos trópicos, só indireta e longinquamente acessíveis e imaginemo-la, como de fato estava, privada quase inteiramente de produtos que se hoje, pela sua banalidade, parecem secundários, eram então prezados como requintes de luxo. Tome-se o caso do açúcar, que embora se cultivasse em pequena escala na Sicília, era artigo de grande raridade e muita procura; até nos enxovais de rainhas ele chegou a figurar como dote precioso e altamente prezado." (PRADO Jr., Caio. "Formação do Brasil contemporâneo". São Paulo, Brasiliense, 1961.) A colonização do Brasil, a partir do século XVI, permitiu à Coroa Portuguesa usufruir das vantagens trazidas pelas riquezas tropicais. Caracterizam a economia colonial brasileira:
a) o monopólio comercial, a monocultura de exportação, o trabalho escravo e o predomínio das grandes propriedades rurais.
b) o livre comércio, a indústria do vestuário, o trabalho livre e o predomínio das pequenas propriedades rurais.
c) o liberalismo econômico, o trabalho assalariado, a monocultura canavieira e o predomínio das grandes propriedades rurais.
d) o exclusivo colonial, o trabalho escravo, a exportação de ferro e aço e o predomínio das pequenas propriedades rurais.
e) o monopólio comercial, o trabalho assalariado, a produção para o mercado interno e o predomínio das grandes propriedades rurais.



resposta:
[A]

origem:Ufrrj-1999
tópico:
Historia

sub-grupo:

pergunta:"Dos ricos é e foi fácil, desde a independência, o governo. Os pobres foram soldados, milicianos nacionais, votaram como o patrão mandou, lavraram a terra (...). Os pobres gozaram da gloriosa independência assim como os cavalos que em Chacabuco e Maipu avançaram contra as tropas do rei". (Santiago Arcos. In: GALEANO, Eduardo. "As caras e as máscaras". Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1985.) O texto anterior apresenta uma visão crítica da América Espanhola, a partir de sua independência política e refere-se ao fato
a) de a independência da América Espanhola ter sido realizada sob a liderança da Inglaterra ("ricos"), tornando os colonos ("pobres") simples massa de manobra.
b) de os pobres da América Espanhola não serem capazes de compreender o alcance do processo de independência.
c) de o processo de independência ter sido liderado pelos "criollos", elite colonial sem maiores compromissos com a situação dos índios, negros e mestiços.
d) de os pobres da América Espanhola lutarem após a independência por uma revolução social que acabasse com sua exploração, tendo sido, porém, derrotados.
e) de a independência ter-se dado somente no campo político, já que a Espanha manteve a dominação econômica sobre as suas antigas colônias.



resposta:
[C]

origem:Ufrrj-1999
tópico:
Historia

sub-grupo:

pergunta:"A criação de um proletariado despossuído, (...) cultivadores vítimas de expropriações violentas repetidas, foi necessariamente mais rápida que sua absorção pela nascentes manufaturas. (...) Forma-se uma massa de mendigos, ladrões e vagabundos. Desde o final do século XV e durante todo o século XVI na Europa Ocidental foi criada uma legislação sanguinária contra o ócio. Os pais da atual classe operária foram castigados por terem sido reduzidos à situação de vagabundos e pobres. A legislação os tratava como criminosos voluntários; ela pressupunha que dependia de seu livre arbítrio continuar a trabalhar como antes." (MARX, Karl. "O Capital". Paris, Garnier-Flamarion, 1969.) As transformações econômicas e sociais costumam gerar profundas alterações no chamado "mundo do trabalho". A situação apontada por Marx refere-se ao processo histórico
a) das revoluções anti-capitalistas, ocorridas na Europa, contra as quais a burguesia determinou severa repressão.
b) das revoltas operárias, como o ludismo, voltadas à destruição das máquinas e à exploração por elas causada.
c) da Revolução Francesa, na qual os trabalhadores foram transformados em massa de manobra dos interesses burgueses.
d) de cercamento dos campos, com o deslocamento de um grande contingente de despossuídos da sua área rural de origem.
e) da Revolução Industrial, quando os criminosos eram expulsos das fábricas e proibidos de trabalhar em outra ocupação, pela legislação vigente.



resposta:
[D]

origem:Ufrrj-1999
tópico:
Historia

sub-grupo:

pergunta:"Não é verdade que os Estados Unidos sintam fome de terra (...). Este país não deseja senão ver os vizinhos estáveis. (...) no hemisfério ocidental, a adesão dos Estados Unidos à Doutrina de Monroe pode forçá-los, ainda que com relutância, em casos flagrantes de malfeitorias ou impotência, ao exercício de poder de política internacional " (Mensagem de Theodore Roosevelt ao Congresso em 1904. ln: FARIA, Ricardo de M. et alli. "História" Belo Horizonte, Lê, 1989. v.3.) A política intervencionista norte-americana, nas primeiras décadas do século XX,
a) voltou-se contra o Canadá, já que havia um desejo histórico de unir as antigas áreas coloniais inglesas na América do Norte em um único país.
b) caracterizou-se pela ação militar contra áreas centro-americanas e caribenhas (Big Stick), sob a justificativa da defesa dos interesses norte-americanos.
c) dirigiu-se contra a Europa, tendo como base a Doutrina Monroe ("A América para os americanos"), principalmente após a1 Guerra Mundial.
d) centrou-se na Ásia, em especial no Japão, onde ocorria, desde meados do século XIX, uma forte pressão para abertura de seus mercados.
e) deslocou-se da América Espanhola para o Brasil, como no caso da "Revolução de 1930", procurando diminuir a influência inglesa ao sul do Equador.



resposta:
[B]

origem:Ufrrj-1999
tópico:
Historia

sub-grupo:Revolução Russa

pergunta:"A sociedade burguesa moderna, que brotou das ruínas da sociedade feudal, não aboliu os antagonismos de classes. Não fez senão substituir novas classes, novas condições de opressão, novas formas de lutas às que existiam no passado." (MARX, K. e ENGELS, F. Manifesto do Partido Comunista "Obras Escolhidas". São Paulo, Alfa-Omega,1953. p.22. v.1.) O elemento presente na Revolução Russa de 1917 que caracteriza a luta de classes, apontada no Manifesto Comunista, publicado em 1848, é
a) a transformação profunda e permanente, conduzida pela burguesia através dos avanços tecnológicos.
b) o apoio do czar russo à luta contra a exploração burguesa, promovido pelo proletariado, exemplificando a solidariedade entre as classes sociais.
c) a liderança revolucionária, assumida pelos camponeses, confirmando a força de mobilização dos mais espoliados.
d) o caráter transnacional do capitalismo, que permitiu a unidade do proletariado nos países vizinhos à Rússia e a posterior invasão e tomada do País.
e) o confronto entre o proletariado e as forças dominantes (czar, exército e burguesia), indicando que a luta de classes está no centro da história de qualquer sociedade.



resposta:
[E]

origem:Ufrrj-1999
tópico:
historia-Brasil

sub-grupo:Era Vargas

pergunta:"Brésilien! Je ne veux pas Que presider l election Mais si vous tante me voulez, que faire? O situation! ....................... N est-ce beaucoup d espanter S il y a tant de "queremistes" Que se sois - quel diable! - Le premier de la liste." "Brasileiros Eu só quero Presidir a eleição Mas, se tanto me quereis, que fazer? Que situação! ......................... Não é de espantar Que existam tantos queremistas Seja eu - que diabo! - O primeiro da lista. " (TORELLI, Aparicio. "A Manhã.", n.o23 - 26/09/1945, citado por Isabel Lustosa. "Histórias de Presidentes".) A ironia feita a Getúlio Vargas, na composição anterior, denuncia os seus objetivos em relação ao movimento queremista. Um de seus objetivos era
a) presidir as eleições, afastando-se da política, após quinze anos no poder.
b) manter-se no poder até a edição de uma nova Constituição e das eleições presidenciais.
c) acabar com o Estado Novo, instituindo um regime democrático.
d) eleger-se presidente do Brasil, como acabou ocorrendo no pleito de 1950.
e) impugnar as eleições, dada a sua notória vocação ditatorial.



resposta:
[B]

origem:Ufrrj-1999
tópico:
historia-Brasil

sub-grupo:Revolução de 64 - Ditadura Militar

pergunta:"(...) Considerando que, assim, se torna imperiosa a adoção de medidas que impeçam sejam frustrados os ideais superiores da Revolução, preservando a ordem, a segurança, a tranqüilidade e o desenvolvimento econômico e cultural e a harmonia política e social do país (...)." (Ato Institucional n.o 5 - 13/12/1968.) A edição do AI-5 representou, há 30 anos, uma radicalização do poder gerado pelo golpe político-militar de abril de 1964 no Brasil. Diante do quadro que se apresentava na época, podemos entender que "os ideais superiores da Revolução" significavam
a) a integração do capitalismo brasileiro ao grande capital internacional e a representação da segurança nacional por um anticomunismo radical.
b) a implantação da chamada "República Sindicalista" e a vinculação econômica ao sistema financeiro internacional.
c) o desenvolvimento capitalista independente e a aproximação político-cultural com os países latino-americanos.
d) a maior aproximação com o capitalismo europeu, para romper a dependência com os Estados Unidos e a União Soviética.
e) a criação de uma economia planificada e uma aproximação com outros regimes revolucionários da América.



resposta:
[A]

origem:Ufrrj-1999
tópico:
historia-Brasil

sub-grupo:Nova República

pergunta:Desde o início dos anos 90 o Brasil vem experimentando os efeitos das políticas adotadas pelos Governos Collor, Itamar Franco e Fernando Henrique Cardoso. As principais características deste modelo político, considerado por muitos como neoliberal, são
a) o pleno emprego e o desenvolvimento econômico, com base nos investimentos estatais e nas parcerias com o setor financeiro.
b) o controle da inflação e da dívida pública, a partir da redução dos impostos, da negociação da dívida externa e da elevação salarial.
c) a redução da interferência do Estado na economia (Estado-mínimo), a abertura ao capital externo e às privatizações, além da redução de gastos do Estado, através de reformas constitucionais.
d) os investimentos exclusivos na política de bem-estar social, expressos nos assentamentos dos Sem Terra e na Ação da Cidadania Contra a Fome, privilegiando a redistribuição de renda e a permanência do homem no campo.
e) a valorização das organizações dos trabalhadores, visando construir parcerias na luta contra o desemprego.



resposta:
[C]

origem:Ufrrj-1999
tópico:
historia-Brasil

sub-grupo:Sistema Colonial Brasileiro

pergunta:"... sois grandes loucos, pois atravessais o mar e sofreis grandes incômodos, como dizeis quando aqui chegais, e trabalhais tanto para amontoar riquezas para vossos filhos ou para aqueles que vos sobrevivem. Não será a terra que vos nutriu suficiente para alimentá-los também. Temos pais, mães e filhos a quem amamos; mas estamos certos de que, depois da nossa morte, a terra que nos nutriu também os nutrirá..." (Registro deixado por Jean de Léry, que esteve no Rio de Jarieiro, em 1557.) Esta citação foi uma resposta dada por um Tupinambá a um francês, depois de saber que ele vinha de terras tão longínquas a fim de buscar lenha para a extração de tintas.
a) Explique uma das principais diferenças culturais entre os portugueses e os povos que habitavam o Brasil, evidenciando a propriedade da terra.
b) Cite duas características do modelo econômico mercantilista, predominante na Europa, no período a que o texto se reporta.



resposta:


origem:Ufrrj-1999
tópico:
historia-Brasil

sub-grupo:

pergunta:A Revolta dos Alfaiates ou Conjuração Baiana, ocorrida em 1798, representou por um lado a revolta de intelectuais da época, desiludidos com a centralização e o despotismo metropolitano e por outro lado, também contou com uma significativa participação popular dos descontentes com a miséria local. Além destas causas internas, acontecimentos externos, naquele momento, agilizaram o processo revolucionário baiano.
a) Cite dois fatores externos que contribuíram para a Conjuração Baiana.
b) Cite dois dos principais objetivos dos conjurados.



resposta:


origem:Ufrrj-1999
tópico:
historia-Brasil

sub-grupo:Segundo Reinado

pergunta:"Art. 1.o - Todos os escravos que entrarem no território ou portos do Brasil, vindos de fora, ficam livres." (Lei de 7/11/1831). "Art. 1.o - As embarcações brasileiras encontradas em qualquer parte e as estrangeiras encontradas nos portos (...) ou mares territoriais do Brasil, tendo a seu bordo escravos, cuja importação é proibida pela lei de 7 de novembro de 1831 (...) serão apreendidas pelas Autoridades (...) e consideradas importadoras de escravos." (Lei 581 de 4/9/1850). A edição de leis sucessivas sobre a supressão do tráfico de escravos para o Brasil demonstra a dificuldade das autoridades quanto ao tratamento do assunto.
a) Explique uma razão, articulada à situação da economia brasileira no século XIX, que levou ao não cumprimento da lei de 1831.
b) Aponte o motivo da edição da Lei de 1850 e da preocupação com seu cumprimento.



resposta:


 


Próxima Página »

Página 1 de 10