Questões de Interpretação de texto - Perguntas e Respostas Comentadas - Exercícios
questões de vestibulares
|
 

Questões Interpretação de texto

REF. Perguntas / Respostas
vestibular Fuvest1994
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:O Ministério da Fazenda descobriu uma nova esperteza no Instituto de Resseguros do Brasil. O Instituto alardeou um lucro no primeiro semestre de 3,1 bilhões de cruzeiros, que esconde na verdade um prejuízo de 2bi. Brasil, Cuba e Costa Rica são os três únicos países cujas empresas de resseguro são estatais.
("Veja", 1/9/93, pág. 31)

Conclui-se do texto que seu autor:
a) acredita que a esperteza do Instituto de Resseguros gerou lucro e não prejuízo.
b) dá como certo que o prejuízo do Instituto é maior do que o lucro alardeado.
c) julga que o Instituto de Resseguros agiu de boa fé.
d) dá a entender que é contrário ao fato de o Instituto de Resseguros ser estatal.
e) tem informação de que em Cuba e na Costa Rica os institutos de resseguros camuflam seus prejuízos.



resposta:[D]

vestibular Fuvest1994
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:A tese que o autor defende é a de que, em futebol,
a) o planejamento tático está sujeito à interferência do acaso.
b) a lógica rege as jogadas.
c) a inteligência dos jogadores é que decide o jogo.
d) os momentos iniciais decidem como será o jogo.
e) a dinâmica do jogo depende do planejamento que o técnico faz.



resposta:[A]

vestibular Fuvest1994
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:No texto, a comparação do campo com um quadro negro aponta:
a) o pessimismo do tático em relação ao futuro do jogo.
b) um recurso utilizado no vestiário.
c) a visão de jogo como movimento contínuo.
d) o recurso didático preferido pelo técnico Tim.
e) um meio de pensar o jogo como algo previsível.



resposta:[E]

vestibular Fuvest1994
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:A intervenção direta do narrador no texto cumpre a função de
a) distanciar o leitor da articulação da história, evitando identificação emocional com as personagens.
b) despertar a atenção do leitor para a estrutura da obra, convidando-o a participar da organização da narrativa.
c) levar o leitor a refletir sobre as narrativas tradicionais, cuja seqüência lógico-temporal é complexa.
d) sintetizar a seqüência dos episódios, para explicar a trama da narração.
e) confundir o leitor, provocando incompreensão da seqüência narrativa.



resposta:[B]

vestibular Fuvest1994
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:Reduit é leite puro e saboroso.
Reduit é saudável, pois nele quase toda gordura é retirada, permanecendo todas as outras qualidades nutricionais. Reduit é bom para jovens, adultos e dietas de baixas calorias.
(Texto em uma embalagem de leite em pó)

a) No texto acima, a gordura pode ser entendida também como uma qualidade nutricional? Justifique sua resposta, transcrevendo do texto a expressão mais pertinente.
b) As qualidades nutricionais de um produto, segundo o texto, sempre fazem bem à saúde? Justifique sua resposta.



resposta:a) Sim, pois o pronome outras inclui a gordura entre as qualidades nutricionais.

b) Não, já que há casos em que uma qualidade nutricional é contra-indicada.

vestibular Unicamp1994
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:A história transcrita a seguir contrasta dois mundos, dois estados de coisas: o dia-a-dia cansativo do carregador e a situação imaginária em que ele se torna presidente da República:
Dois carregadores estão conversando e um diz:

"Se eu fosse presidente da República, eu só acordava lá pelo meio-dia, depois ia almoçar lá pelas três, quatro horas. Só então é que eu ia fazer o primeiro carreto"

O carregador não consegue passar para o mundo imaginário, e acaba misturando-o de maneira surpreendente com o mundo real.
a) Qual é a construção gramatical usada nessa história para dar acesso ao mundo das fantasias do carregador?
b) Que situação do mundo real ele transfere para o mundo irreal de suas fantasias?
c) Por que isso é engraçado?



resposta:a) O uso do pretérito imperfeito com o valor de futuro do pretérito.

b) A sua situação de carregador.

c) Porque ele não consegue livrar-se da sua condição de trabalhador mesmo na fantasia.

vestibular Unicamp1994
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:A coluna "Painel" do jornal "Folha de S. Paulo" publicou a seguinte nota:

LITERALMENTE
Desde a divulgação da pesquisa Data-Folha mostrando que 79% não sabem que Fernando Henrique é o novo ministro da Fazenda, seus adversários no Congresso criaram um novo apelido para ele: "Ilustre desconhecido."
("Folha de S. Paulo", 31.05.93 )

a) Quais os sentidos da expressão "Ilustre desconhecido" quando usada habitualmente em relação a alguém, e como apelido de Fernando Henrique Cardoso?
b) Uma dessas duas interpretações de "Ilustre desconhecido", resulta num paradoxo*. Diga qual é essa interpretação e justifique.
c) O título "Literalmente" é adequado à nota? Por quê?
(*paradoxo = contra-senso, contradição )



resposta:a) Geralmente é uma expressão crônica aplicada a pessoas realmente desconhecidas. No caso de FHC, a ironia é uma pessoa famosa não ter a sua função pública conhecida.

b) A aplicada a FHC: a "conhecido desconhecido".

c) Sim, pois se trata de uma figura ilustre que é momentaneamente desconhecida.

vestibular Unicamp1994
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:O "Jornal do Automóvel", um dos cadernos do Diário do Povo, de Campinas, em sua edição de 8/8/93, trazia a seguinte notícia:

"Que flagra! O J.A. descobriu os primeiros veículos importados da Ford em Campinas. São eles três mini-van Explorer, que deverão ser lançados no Brasil até o final deste mês."

O Jornal do Automóvel flagrou nesta semana a chegada dos primeiros veículos importados da Ford para o Brasil e que serão vendidos em Campinas pela Forbrasa.
Foram três mini-van Explorer que deverão ser lançados oficialmente pela Ford do Brasil até o final deste mês. A data ainda não foi divulgada mas o lançamento será simultâneo em todo o país em 16 concessionárias autorizadas. A Explorer é apenas o primeiro modelo de passeio que a Ford traz para o Brasil depois da liberação da importação de veículos (...)
Como a Ford ainda não promoveu o lançamento nacional dos veículos, os que vieram para Campinas estão sendo guardados na loja da Forbrasa (...) Quem passa pelo lado de fora não enxerga os automóveis, mas é visível a mudança que a loja está sofrendo para abrigar a nova loja e assistência técnica especializada.

O primeiro parágrafo da notícia presta-se à seguinte interpretação:

"os primeiros três carros importados pela Ford - três mini-vans Explorer - vieram para Campinas: com eles a Ford fará em Campinas o lançamento nacional dos importados Ford".

O restante do artigo fornece informações parcialmente diferentes.

a) Transcreva as passagens que desmentem aquela primeira interpretação.
b) A leitura da segunda parte do texto leva o leitor a mudar sua primeira interpretação. Em que consiste essa mudança?
c) Mostre que as duas interpretações possíveis para o primeiro parágrafo se distinguem pela maneira como se relaciona a expressão "em Campinas" ao restante da frase.



resposta:a) "... o lançamento será simultâneo em todo o país em 16 concessionárias..."

b) O lançamento nacional não será só em Campinas.

c) Na 1 interpretação "em Campinas" liga-se à toda a oração e na 2, ao verbo descobrir.

vestibular Unicamp1994
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:Em uma de suas colunas, o ombudsman do jornal "Folha de S. Paulo" reproduziu um trecho de uma notícia do "Jornal do Brasil" e fez uma crítica ao título da mesma notícia. O título da notícia do "Jornal do Brasil" era:

MULHERES CARDÍACAS TÊM MAIS CHANCE DE MORRER.

A crítica dizia, simplesmente: "O 'JB' de quarta-feira publicou título óbvio".
Observe agora o começo da notícia publicada pelo "JB":
"WASHINGTON - As mulheres que se submetem à angioplastia têm dez vezes mais probabilidade de morrer no hospital do que os homens. A conclusão foi obtida num estudo..."
("Folha de S.Paulo", 14.03.93 )

a) Como o ombudsman da "Folha" leu a manchete do "JB", para achar que ela diz o óbvio?
b) Qual a leitura da manchete que deve ser feita, com base no texto que a segue?
c) Porque a manchete do "JB" permite essas duas leituras?



resposta:a) Ele entendeu que as mulheres cardíacas têm mais chance de morrer do que as que não são cardíacas.

b) Que as mulheres cardíacas têm mais chance de morrer do que os homens cardíacos.

c) Porque ela não completa a comparação.

vestibular Unicamp1994
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:Em duas passagens do texto a seguir, o articulista transmitiu informações objetivamente diferentes das que pretende transmitir.

O que incomoda a população (...) é o piolho da cabeça, que se hospeda geralmente em crianças em idade pré-escolar. Não se sabe ao certo o porquê da maior incidência em crianças, mas se acredita que seja provavelmente pelo contato mais íntimo entre elas. Afinal, só podem ocorrer infestações se a criança entrar em contato com outra, desmitificando assim que o piolho voa ou que o uso comum de pentes e escovas pode ser transmitido.
Outro mito (...) é a transmissão do piolho animal para o ser humano. "Isto não existe porque cada espécie tem seu piolho e se o parasita picar outra espécie que não seja a sua, morre"(...).
("Gazeta de Barão", Campinas, agosto de 1993).

a) Transcreva as duas passagens.
b) Redija-as de forma a evitar as interpretações não desejadas.
c) Justifique uma das "correções" feitas por você em resposta ao item b.



resposta:a) "... o uso comum de pentes e escovas pode ser transmitido."
"... e se o parasita picar outra espécie que não seja a sua, morre(...)"

b) "... o uso comum de pentes e escovas pode transmiti-lo".
"... e se o parasita picar outra espécie que não seja o seu hospedeiro habitual, morre".

c) Não é o uso de pentes que se transmite, e sim o piolho.

vestibular Unicamp1994
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:Leia com atenção o trecho a seguir:

Desinformar, ensina o dicionário, "é informar mal; fornecer informações inverídicas".
Empregada como arma de guerra, a desinformação significa trabalhar a opinião pública de modo que esta, chamada a decidir sobre idéia, pessoa ou evento, ajuíze conforme o querer do desinformador.
Não se trata de novidade. É recurso tão antigo quanto os conflitos. Porém, no Brasil, raramente foi tão hábil e eficientemente engendrada e utilizada como em 1932 em favor do Governo Provisório. Contribuiu para circunscrever o âmbito da Revolução Constitucionalista, inamistá-la em várias áreas do país e para favorecer a mobilização destinada a enfrentá-la.
Gente simples, recrutada ao norte e ao sul, entrou na luta acreditando combater estrangeiros que tendo se apoderado do controle econômico de S. Paulo, buscavam empalmar o mando político. Isso fariam ajudados por alguns paulistas antigos, egoístas, rancorosos, vingativos, intencionando fazer do Estado um país independente, hostil às áreas e às classes empobrecidas do Brasil. Os intrusos e os separatistas DISFARÇARIAM seus propósitos com o reclamar convocação de assembléia constituinte. Uns e outros deveriam ser combatidos sem piedade.
(Hernâni Donato. "Desinformação, arma de guerra em 1932", DO Leitura, São Paulo, 11(33), junho de 1933").

a) Quem são, segundo o Governo Provisório, os dois inimigos a serem combatidos?
b) O que significa, e a quem se refere, no contexto, a expressão ISSO FARIAM?
c) Dada a tese do autor de que o Governo Provisório desinformava, como devem ser interpretadas as ocorrências do futuro do pretérito, especialmente FARIAM e DISFARÇARIAM?



resposta:a) Estrangeiros e paulistas.

b) Os estrangeiros tomariam o controle econômico do país.

c) Devem ser interpretados como inverdades, pois são hipóteses do discurso das informações inverídicas.

vestibular Unicamp1994
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:Leia atentamente o seguinte poema de Ângelo de Lima:

1 Pára-me de repente o pensamento
2 Como que de repente refreado
3 Na doida correria em que levado
4 Ia em busca da paz do esquecimento

5 Pára surpreso, escrutador, atento
6 Como pára um cavalo alucinado
7 Ante um abismo súbito rasgado.
8 Pára e fica, e demora-se um momento.
9 Pára e fica, na doida correria
10 Pára à beira do abismo, e se demora.
11 E mergulha na noite escura e fria
12 Um olhar de aço, que essa noite explora.
13 Mas a espora da dor seu flanco estria,
14 E ele galga e prossegue sob a espora...
("Revista Sudoeste", Lisboa N.3, 1935, p.4)

a) Nesse poema, opõem-se o movimento desenfreado para a frente e o refreamento. Identifique um verso em que esses dois temas se encontrem reunidos.
b) Identifique dois recursos formais que expressam, reforçando-a, a idéia de refreamento, parada.
c) Explique por que o pensamento nesse poema, é comparado a um "cavalo alucinado". Com base nisso, identifique o "abismo" à beira do qual o pensamento pára e se demora.



resposta:a) "Pára, e fica, na doida correria"

b) A anáfora de "pára" e a estrofação.

c) O pensamento viaja rápido e desgovernado, parando apenas diante de experiências dolorosas e sombrias.

 


Próxima Página »

Página 1 de 251