Questões de Interpretação de texto - Perguntas e Respostas Comentadas - Exercícios
questões de vestibulares
|
 

Questões Interpretação de texto

REF. Perguntas / Respostas
vestibular Uerj2001
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:As duas cartas acima são de leitores expressando suas opiniões sobre o episódio de agressão ao governador de São Paulo em manifestação de professores em greve. O veículo de publicação de cartas - o jornal - impõe um limite de espaço para os textos.
Em função desse limite de espaço, os dois textos apresentam como traço comum:
a) combate a pontos de vista de outros leitores
b) construção de comprovações por meio de silogismos
c) expressão de opinião sem fundamentos desenvolvidos
d) escolha de assunto segundo o interesse do editor do jornal




resposta:[C]

vestibular Uerj2001
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:Em geral, esse tipo de carta no jornal busca convencer os leitores de um dado ponto de vista.
Por causa dessa intenção, é possível verificar que ambas as cartas transcritas se caracterizam por:
a) finalizar com perguntas retóricas para expressar sua argumentação
b) iniciar com considerações gerais para contestar opiniões muito difundidas
c) utilizar orações de estruturação negativa para defender a posição e outros
d) empregar estruturas de repetição para reforçar idéias centrais da argumentação




resposta:[A]

vestibular Uerj2001
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:O fragmento que expõe a tese de cada uma das cartas, respectivamente, pode ser identificado em:
a) "Já conhecemos nossos governantes" / "Quando o ministro vai achar que foram transpostos os limites do tolerável?"
b) "Só não conhecíamos ainda nossos manifestantes" / "a última manifestação transpusera os limites do tolerável"
c) "Nada justifica a agressão física" / "Mas os demais cidadãos brasileiros não merecem?"
d) "É esse o papel de um educador?" / "Primeiro foi uma paulada no governador de São Paulo"




resposta:[C]

vestibular Uerj2001
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:Pela leitura da carta de Arthur Costa da Silva, é possível afirmar que as perguntas nela presente têm o seguinte significado:
a) questionar as atitudes dos políticos brasileiros
b) apontar falhas no discurso de autoridades brasileiras
c) propor uma reflexão acerca da atitude dos agressores
d) mostrar solidariedade ao comportamento dos manifestantes




resposta:[B]

vestibular Uerj2001
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:O personagem Policarpo Quaresma, no trecho acima, se encontra preso, prestes a ser executado pelo exército de Floriano Peixoto, por ter escrito uma carta ao presidente protestando contra assassinato de prisioneiros. Antes de ser executado, ele reflete sobre a noção de pátria.
Nos dois primeiros parágrafos, ele parte de suas próprias experiências, o que configura o seguinte método de raciocínio:
a) indutivo, pensando do particular para o geral
b) dedutivo, pensando do abstrato para o concreto
c) dialético, pensando a partir das suas contradições
d) sofismático, pensando do geral para o particular




resposta:[D]

vestibular Uerj2001
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:"Reviu a história; viu as mutilações, os acréscimos em todos os países históricos e perguntou de si para si: como um homem que vivesse quatro séculos, sendo francês, inglês, italiano, alemão, podia sentir a Pátria?"

A pergunta de Policarpo refere-se a determinado território na Europa que de fato mudou quatro vezes de nacionalidade em quatro séculos.
A pergunta permite subentender a seguinte afirmação:
a) Se a Pátria pode mudar de lugar, então um homem que seguisse o seu percurso histórico se sentiria eterno imigrante.
b) Se a Pátria é uma noção histórica, então um homem que acompanhasse as mudanças se perceberia mais humano do que patriota.
c) Se a Pátria pode abrigar línguas diferentes, então um homem que nela vivesse teria um sentimento muito mais forte de patriotismo.
d) Se a Pátria pode mudar de tamanho, então um homem que crescesse com ela veria o seu sentimento patriótico alterar-se na mesma proporção.



resposta:[B]

vestibular Uerj2001
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:"Que lhe importavam os rios? Eram grandes? Pois que fossem..."

Com essas frases, Policarpo Quaresma critica o sofisma que liga o tamanho dos rios brasileiros à grandeza moral da pátria brasileira.
Esse tipo de sofisma ocorre quando se estabelece uma relação arbitrária entre dois elementos independentes que são apresentados como:
a) efeito e causa
b) opinião e citação
c) generalização e fatos
d) interrogação e resposta



resposta:[A]

vestibular Uerj2001
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:"Certamente era uma nação sem consistência racional e precisava ser revista"

A frase final constitui uma conclusão preparada, ao longo do texto, por idéias que se contrapõem a uma noção de pátria que o personagem-narrador indica ter cultivado durante a sua vida.

Um argumento que conduz à conclusão da falta de consistência racional da noção de pátria é:
a) "O importante é que ele tivesse sido feliz. Foi? Não."
b) "As terras não eram ferazes e ela não era fácil como diziam os livros."
c) "A pátria que quisera ter era mito; era um fantasma criado por ele no silêncio do seu gabinete"
d) "Lembrou-se de que essa noção nada é para os Menenanã, para tantas pessoas..."



resposta:[D]

vestibular Uerj2001
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:O poema, em prosa poética, de Manoel de Barros, questiona a idéia de que a língua seja controlada pelos falantes - a língua, em alguns momentos, é que nos controlaria.
Para fazer esse questionamento, utiliza-se do seguinte processo de construção:
a) discute teorias e conceitos lingüísticos, como se polemizasse
b) religa os versos a sentenças interrogativas, como se dialogasse
c) concretiza idéias com elementos da natureza, como se refletisse
d) constrói hipérboles sobre o lugar do poeta, como se monologasse



resposta:[C]

vestibular Uerj2001
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:O prefixo "des" aparece seis vezes no poema: "desestruturo", "desestruturo", "desalojasse" "desaprumei", "desestruturou", "desestruturaram". Reforça-se, assim, a noção de que a poesia mais desestabiliza significados cristalizados e cria novos do que comunica alguma mensagem do poeta para o leitor.
A frase de Manoel de Barros que melhor exemplifica essa desestabilização é:
a) "E eu nem atrapalhava a passagem de ninguém!"
b) "O grilo feridava o silêncio"
c) "Fui eu ou foram as palavras?"
d) "Não era para terem retirado a mim do lugar?"




resposta:[B]

vestibular Uerj2001
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:As gramáticas em geral registram duas ocorrências que deixam o sujeito indeterminado: frases como "Falaram mal de você", em que o verbo aparece na terceira pessoa do plural e não há sujeito reconhecível, e frases como "Precisa-se de servente", em que o pronome "se" na terceira pessoa do singular, indetermina o sujeito.
O poema de Manoel de Barros, no entanto, cria uma outra ocorrência de sujeito indeterminado, que aparece no seguinte trecho:
a) "Veio me dizer que eu desestruturo a linguagem"
b) "Vejamos: eu estou bem sentado num lugar"
c) "Ali só havia um grilo com sua flauta de couro"
d) "E o lugar que retiraram de debaixo de mim?"




resposta:[A]

vestibular Uerj2001
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:"Em situação de poço, a água equivale
a uma palavra em situação dicionária:"

Se, no poema, "poço" equivale a "dicionário", "rio" equivale ao seguinte elemento lingüístico:
a) texto
b) verso
c) regência
d) vocabulário



resposta:[A]