Questões de Interpretação de texto - Perguntas e Respostas Comentadas - Exercícios
questões de vestibulares
|
 

Questões Interpretação de texto

REF. Perguntas / Respostas
vestibular Unicamp1994
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:Leia o poema a seguir e responda:

Maria Diamba
1 Para não apanhar mais
2 falou que sabia fazer bolos:
3 virou cozinha.
4 Foi outras coisas para que tinha jeito.
5 Não falou mais:
6 Viram que sabia fazer tudo,
7 até molecas para a Casa-Grande.
8 Depois falou só,
9 só diante da ventania
10 que vinha do Sudão;
11 falou que queria fugir
12 dos senhores e das judiarias deste mundo
13 para o sumidouro.
(Jorge de Lima, "Poemas Negros")

a) Descreva a personagem a que se refere o poema. Cite algumas passagens do poema que justifiquem sua resposta.
b) O poema narra a história desta personagem. Que palavra(s) marca(m) no poema a evolução desta história?
c) Os versos 8 e 10 apresentam duas novas atitudes da personagem diante de si e da história. Identifique-as.



resposta:a) É uma escrava negra africana ("que vinha do Sudão;/ falou que queria fugir/ dos senhores e das judiarias deste mundo")

b) falou, não falou.

c) A reflexão sobre a sua condição e a disposição de abandoná-la.

vestibular Unesp1994
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:Nesta redondilha de Camões e na estrofe do poema "Nós", do realista português Cesário Verde, os poetas exploram um tema literário bastante comum, presente em obras de poetas de todos os tempos. Trata-se de "o desconcerto do mundo", quer dizer, a verificação de que os fatos do mundo acontecem às avessas, em desajuste com as exigências íntimas da vida pessoal. Com base neste comentário, releia os textos e, a seguir, explique que tipo de "desconcerto" é apontado:
a) por Camões, em seu poema;
b) por Cesário Verde, em sua estrofe.



resposta:a) A justiça diferenciada em relação aos atos próprios e alheios.

b) As doenças penalizam os bons e não os maus.

vestibular Unesp1994
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:Nos primeiros versos de "Esparsa", Camões demonstra sua consciência sobre o "desconcerto do mundo". Em decorrência disto, confessa uma mudança de atitude. Releia o poema e, em seguida:
a) explique como se dá essa mudança de atitude;
b) comente o resultado de sua tentativa.



resposta:a) Passa a ser mau para alcançar o bem.

b) Ele se dá mal e é castigado.

vestibular Unesp1994
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:Auto da Compadecida.

CHICÓ: - Mas padre, não vejo nada de mal em se benzer o bicho.

JOÃO GRILO: - No dia em que chegou o motor novo do major Antônio Morais o senhor não benzeu?

PADRE: - Motor é diferente, é uma coisa que todo mundo benze. Cachorro é que eu nunca ouvi falar.

CHICÓ: - Eu acho cachorro uma coisa muito melhor do que motor.

PADRE: - É, mas quem vai ficar engraçado sou eu, benzendo o cachorro. Benzer motor é fácil, todo mundo faz isso, mas benzer cachorro?

JOÃO GRILO: - É, Chicó, o padre tem razão. Quem vai ficar engraçado é ele e uma coisa é benzer motor do major Antônio Morais e outra benzer o cachorro do major Antônio Morais.

PADRE: - (mão em concha no ouvido) Como?

JOÃO GRILO: - Eu disse que uma coisa era o motor e outra o cachorro do major Antônio Morais.

PADRE: - E o dono do cachorro de quem vocês estão falando é Antônio Morais?

JOÃO GRILO: - É. Eu não queria vir, com medo de que o senhor se zangasse, mas o major é rico e poderoso e eu trabalho na mina dele. Com medo de perder meu emprego, fui forçado a obedecer, mas disse o Chicó: o padre vai se zangar.

PADRE: - (desfazendo-se em sorrisos) Zangar nada, João! Quem é um ministro de Deus para ter direitos de se zangar? Falei por falar, mas também vocês não tinham dito de quem era o cachorro!

JOÃO GRILO: - (cortante) Quer dizer que benze, não é?

PADRE: - (a Chicó) Você o que é que acha?

CHICÓ: - Eu não acho nada de mais.

PADRE: - Nem eu. Não vejo mal nenhum em se abençoar as criaturas de Deus.

(in Suassuna, Ariano - TEATRO MODERNO - AUTO DA COMPADECIDA. 8 ed., Rio: Agir-Instituto Nacional do Livro, 1971, pp. 32-34.)

A espontaneidade dos diálogos, a força poética de seu texto e a capacidade de exprimir o espírito popular de nossa gente fazem com que o escritor Ariano Suassuna (1927) seja reconhecido como um dos principais autores brasileiros contemporâneos. Diz o crítico Sábato Magaldi que a religiosidade de Ariano "pode espantar aos cultores de um catolicismo acomodatício, mas responde às exigências daqueles que se conduzem por uma fé verdadeira".

Com base nesta observação, responda:
a) por que, segundo aquele padre, é fácil benzer um motor?
b) em que sentido o fragmento apresentado encerra uma crítica ácida ao modo como o padre comanda a sua paróquia?



resposta:a) Porque, segundo o padre, todo mundo faz isso (e o motor é do major)

b) Os assuntos eclesiásticos ficam subordinados ao poder político e social do major.

vestibular Unesp1994
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:Comparando o texto do jornalista e poeta seresteiro Orestes Barbosa (musicado por Sílvio Caldas) com o fragmento do poema de Castro Alves, verificamos que ambos, embora focalizem ambientes sociais diferentes, tratam basicamente do mesmo tema. Releia os textos em questão e, a seguir, indique:
a) o tema comum a ambos os poemas;
b) um verso ou seqüência de versos de cada poema que façam referência ao tema.



resposta:a) A ausência da mulher amada.
b) "... sinto saudade/ Da mulher-pomba-rola que voou". "Tudo vem me lembrar que tu fugiste".

vestibular Unesp1994
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:A comparação da mulher amada com imagens celestes é tradicional na literatura. A mulher, no romantismo de Castro Alves, é comparada com uma estrela, ("és como a estrela, que transpondo as sombras, / deixa um rastro de luz no azul do espaço"); na idealização arcádica de Tomás Antônio Gonzaga, o poeta afirma que, para descrever a beleza de Marília, são necessárias "as tintas do céu" e nem as auroras nem as estrelas são capazes de imitar ou retratar os olhos dela. Tomando por base este comentário:
a) explique o caráter inovador de Orestes Barbosa em seu poema;
b) comprove sua explicação com exemplos tomados de "Chão de Estrelas".



resposta:a) Ao invés da elevação aos céus, o poeta faz as estrelas baixarem.
b) "Mas a lua (...) / Salpicava de estrelas nosso chão".

vestibular Unesp1994
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:Já vimos que os poemas de Orestes Barbosa e de Castro Alves apresentam algumas semelhanças genéricas em níveis temático e métrico. Lendo atentamente ambos os textos, poderemos perceber a ocorrência de outras semelhanças mais específicas. Compare a segunda estrofe de "Chão de Estrelas" com a terceira estrofe do poema de Castro Alves e, a seguir, aponte:
a) uma semelhança na caracterização dos ambientes;
b) uma semelhança na caracterização de amadas.



resposta:a) Em ambos os poemas há o ambiente alegre de aves vicejantes.
b) As amadas aparecem na metáfora das aves.

vestibular Unesp1994
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:Embora faça referência a três personagens, o narrador menciona nominalmente apenas Jorge e Luísa. Releia o texto e, a seguir:
a) aponte duas palavras por meio das quais, de modo explícito ou velado, o narrador se refere ao personagem Basílio;
b) explique o que representa, do ponto de vista de Jorge, a omissão do nome de Basílio.



resposta:a) "beijos ALHEIOS", "O que LHE dizia?"
b) A tentativa de atenuar a situação ignominia em que se encontrava.

vestibular Fuvest1995
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:Segundo o texto,
a) o processo de modernização deve tornar-se mais abrangente para implementar a agricultura.
b) os problemas da agricultura resultam do impacto causado pela modernização progressiva do setor.
c) os problemas da agricultura resultam da inadequação do processo de modernização do setor.
d) segmentos do setor agrícola recusam-se a adotar processos de modernização.
e) os problemas da agricultura decorrem da não-modernização de estabelecimentos agrícolas marginalizados.



resposta:[C]

vestibular Fuvest1995
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:No trecho "à persistência de segmentos que dela teriam ficado imunes.", a expressão "teriam ficado" exprime:
a) o desejo de que esse fato não tenha ocorrido.
b) a certeza de que a imunidade à modernização é própria de estabelecimentos agrícolas marginalizados.
c) a hipótese de que esse fato tenha ocorrido.
d) a certeza de que esse fato realmente não ocorreu.
e) a possibilidade de a imunidade à modernização ser decorrente da persistência de certos segmentos.



resposta:[C]

vestibular Fuvest1995
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:De acordo com o texto,
a) os homens que sabem ouvir e contemplar tornam-se sábios e virtuosos.
b) a virtude e o saber adquirem existência quando compartilhados pelos homens.
c) a virtude e o saber existem no espírito do homem que consegue perceber a dualidade da existência.
d) a virtude e o saber, por terem realidades paralelas, devem ser conquistados individualmente.
e) o homem sábio e virtuoso, para iluminar-se, deve buscar uma vida isolada e contemplativa.



resposta:[B]

vestibular Fuvest1995
tópico:Interpretação de texto

sub-grupo:
pergunta:No texto, ao afirmar "então cogitei se não haveria um modo de obter o mesmo efeito, poupando tais trabalhos", a personagem:
a) expressa a intenção de divulgar seus conhecimentos, aproximando-se dos outros homens.
b) procura convencer o leitor a poupar esforços na busca do conhecimento.
c) demonstra que a virtude e o saber exigem muito trabalho dos homens.
d) resume o conceito da doutrina salvadora, desenvolvida no parágrafo.
e) exprime a idéia de que a admiração dos outros é mais importante do que o conhecimento em si.



resposta:[E]