Questões de Literatura - Perguntas e Respostas Comentadas - Exercícios
questões de vestibulares
|
 

Questões Literatura

REF. Perguntas / Respostas
vestibular Uflavras2000
tópico:Literatura

sub-grupo:Contemporânea
pergunta:Todas as alternativas apresentam correspondência entre trechos das crônicas do volume 2 de "Para Gostar de Ler" e seus respectivos Autores, EXCETO:

a) "Outro dia fui a São Paulo e resolvi voltar à noite, uma noite de vento sul e chuva, tanto lá como aqui. Quando vinha para casa de táxi, encontrei um amigo e o trouxe até Copacabana; e contei a ele que lá em cima, além das nuvens, estava um luar lindo, de Lua cheia; e que as nuvens feias que cobriam a cidade eram, vistas de cima, enluaradas, colchões de sonho, alvas, uma paisagem irreal."
"A outra noite" - Fernando Sabino
b) "Mal o pai colocou o papel na máquina, o menino começou a empurrar uma cadeira pela sala, fazendo um barulho infernal.- Pára com esse barulho, meu filho - falou, sem se voltar.Com três anos já sabia reagir como homem ao impacto das grandes injustiças paternas: não estava fazendo barulho, estava só empurrando uma cadeira.- Pois então pára de empurrar a cadeira.- Eu vou embora - foi a resposta.
"Fuga" - Fernando Sabino
c) "O marido faz-lhe um gesto para calar-se, enquanto ele estuda o rapaz, suas intenções. O agente explica-lhe tudo com calma, convence-o de que não é nem camelô nem policial nem cobrador de impostos nem enviado de Tenório Cavalcanti. A idéia de recenseamento, pouco a pouco, vai se instalando naquela casa, penetrando naquele espírito. Não custa atender ao rapaz, que é bonzinho e respeitoso."
"Caso de recenseamento" - Carlos Drummond de Andrade
d) "E a velha mais moça se afastou em passadas compridas, impedindo a contramarcha da velha mais velha, que estava no limite extremo de sua timidez, e não teve outro jeito senão agarrar-se ao braço do motorista, entrar penosamente, sorrir pedindo perdão para todos os passageiros. Ajeitou-se no banco, esperou o barulho do motor e comentou para a vizinha (que a olhava, compreendendo tudo, as velhas, as mães o cosmos):- Coitadinha! Eu fico morrendo de pena de deixar ela aí, só, tão longe!"
"Coração materno" - Paulo Mendes Campos
e) "Sorri da pergunta: tenho vivido uma parte de minha vida no meio de livros, conheço livros, lido com livros, sou capaz de distinguir um livro à primeira vista no meio de quaisquer outros objetos, sejam eles garrafas, tijolos ou cerejas maduras - sejam quais forem. Aquilo não era um livro, e mesmo supondo que houvesse livros encadernados em louça, aquilo não seria um deles: não parecia de modo algum um livro."
"Aula de inglês" - Rubem Braga



resposta:[B]

vestibular Ufpe2000
tópico:Literatura

sub-grupo:Modernismo
pergunta:Erro de Português

Quando o Português chegou
Debaixo de uma bruta chuva
Vestiu o índio,
Que pena!
Fosse uma manhã de sol
O índio tinha
Despido o Português,
(Oswald de Andrade)

Sobre o texto e a charge acima, analise os seguintes enunciados.

1) O texto e a charge argumentam a favor da parcialidade da História. Na verdade, os indivíduos, os grupos sociais vêem os fatos desde suas próprias perspectivas culturais.
2) Na charge do DP, as observações dos dois tripulantes coincidem quanto à natureza dos objetos percebidos.
3) No poema de Oswald de Andrade, a oposição entre "vestir" e "despir" sugere a relação de poder entre povo dominante e povo dominado.
4) O poema está dividido em dois blocos. No primeiro, consta uma relação de valor temporal e, no segundo, uma relação de valor condicional. No segundo caso, o conectivo vem explícito.
5) A forma verbal que dá início ao 5¡. verso do poema tem um valor hipotético.

Estão corretos apenas:
a) 1, 2 e 3
b) 1, 3 e 5
c) 2, 3, 4 e 5
d) 3 e 4
e) 3, 4 e 5


resposta:[B]

vestibular Ufpe2000
tópico:Literatura

sub-grupo:Simbolismo
pergunta:"Na verdade, um estilo literário não desaparece nunca. Ele se incorpora à cultura; pode cair de moda, mas continua fazendo parte do amplo conjunto de realizações humanas e traços podem até reaparecer."
(Faraco e Moura)

Analise as afirmações a seguir sobre estilos e escolas literárias e assinale a alternativa incorreta.
a) O Barroco usou o excesso de imagens (comparações, antíteses, paradoxos) para expressar contradições. Este excesso permaneceu no Simbolismo para expressar sensações de cores, luzes e sons. No Barroco, destacou-se a temática da efemeridade da vida, cultivada, também, na poesia do romântico Álvares de Azevedo.
b) O Arcadismo caracterizou-se pelo retorno à natureza, pelo bucolismo, que permanece no "culto à natureza" do Romantismo, numa dimensão mais dinâmica.
c) O Realismo e o Modernismo tiveram em comum a característica de retratar a realidade brasileira tal como se apresentava, embora com concepções diferentes de linguagem.
d) O Romantismo cultivou a exaltação das paisagens brasileiras, freqüente em Gonçalves Dias. O Parnasianismo retomou essa tendência, observada no ufanismo de Olavo Bilac.
e) O Simbolismo restringiu-se à poesia, tendo-se identificado com o Realismo pelo afastamento do místico e do espiritual.



resposta:[E]

vestibular Ufpe2000
tópico:Literatura

sub-grupo:Modernismo
pergunta:"Pus meu sonho num navio
e o navio em cima do mar
- depois abri o mar com as mãos
para o meu sonho naufragar"
(Cecília Meireles)

Os versos acima fazem parte da poética de Cecília Meireles. Dessa autora, é incorreto dizer que:
a) conservou os laços com o Simbolismo, o que se evidencia na sua visão de mundo, na sua linguagem e na sua estética.
b) revelou predileção por imagens a partir da música, da água, do ar, do mar, do vento, do espaço.
c) foi hábil na utilização de versos curtos, de grande musicalidade e apurada seleção vocabular.
d) como uma de suas opções poéticas, sobressai a evasão pelo sonho.
e) manteve uma atitude constante de distanciamento do tema em sua poesia lírica.



resposta:[E]

vestibular Ufpe2000
tópico:Literatura

sub-grupo:Modernismo
pergunta:"Minha terra tem palmeiras
Não... minha terra tem engenhocas
de rapadura e cachaça
E açúcar marrom, tiquinho, para o gasto"
(Carlos Drummond de Andrade)

Qual das características do Modernismo, Drummond torna mais evidente nos versos acima?
a) Ruptura com o passado e valorização excessiva das descobertas da técnica.
b) Paródia de textos românticos e exaltadores da terra natal.
c) Crítica aos valores rurais.
d) Interesse pelo homem comum e seu cotidiano.
e) Destruição dos nexos sintáticos com enumeração caótica.



resposta:[B]

vestibular Ufpe2000
tópico:Literatura

sub-grupo:Realismo/Naturalismo/Parnasianismo
pergunta:Sobre os autores do Realismo/Naturalismo, numere a 2 coluna de acordo com a 1.

1) Machado de Assis
2) Aluízio de Azevedo

( ) Em "O Cortiço", as idéias naturalistas se conjugam para revelar as misérias existentes na capital do país.
( ) O autor inova na literatura brasileira pelo seu senso de coletividade, pela descrição de multidão.
( ) Escreveu um romance, em que ataca o racismo, o reacionarismo clerical, a estreiteza do universo provinciano e descreve a lenta e difícil ascensão social do mestiço brasileiro.
( ) Autor de obras-primas, como "Quincas Borba" e "Dom Casmurro", é irônico, pessimista e crítico. Suas tramas quebram a estrutura linear e seu estilo é refinado e elegante, esmerando-se na correção lingüística.
( ) Na sua 1 fase, estava comprometido com o idealismo romântico. Na 2 fase, mais maduro, fazia a análise psicológica e social de temas da burguesia da época: o adultério, o parasitismo social, o egoísmo, a vaidade, o interesse, além da confusão entre razão e loucura.

A seqüência correta é:
a) 1, 1, 2, 1 e 2
b) 2, 2, 1, 2 e 1
c) 1, 2, 1, 1 e 2
d) 2, 2, 2, 1 e 1
e) 2, 2, 1, 1 e 1



resposta:[D]

vestibular Ufpe2000
tópico:Literatura

sub-grupo:Modernismo
pergunta:O Modernismo, iniciado no Brasil a partir da Semana de Arte Moderna de 1922, não apresenta, entre suas principais características:
a) liberdade de expressão.
b) anticonvencionalismo dos temas.
c) valorização da vida rural.
d) inovação na linguagem.
e) incorporação da temática do cotidiano.



resposta:[C]

vestibular Ufpe2000
tópico:Literatura

sub-grupo:Modernismo
pergunta:"Pelo sertão não se tem como
não se viver sempre enlutado
Lá o luto não é no vestir
é de nascer com o luto nato"
(João Cabral de Melo Neto)

"Vou me embora pra Pasárgada
Lá sou amigo do Rei
Lá tenho a mulher que quero
na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada"
(Manuel Bandeira)

Quais das afirmações seguintes estão de acordo com as passagens acima?

1) O primeiro poema caracteriza-se pelo racionalismo, pela lógica e rigor formal, o que não impede a denúncia social sem marcas pessoais. A forma é cuidada e contida.
2) No segundo poema, a evasão do real se dá em linguagem coloquial, aproximada da prosa. A presença da subjetividade revela-se no uso da 1 pessoa gramatical.
3) Ambos os autores são pernambucanos. O primeiro é representante da Geração de 45, e o segundo, da Primeira Fase do Modernismo, tendo colaborado na Semana de Arte Moderna com os versos satíricos "Os Sapos".

Está(ão) correta(s):
a) 1, 2 e 3
b) 1 apenas
c) 2 apenas
d) 3 apenas
e) 1 e 2 apenas



resposta:[A]

vestibular Ufpe2000
tópico:Literatura

sub-grupo:Modernismo
pergunta:O romance regional de 30 constituiu a Segunda Fase do Modernismo Brasileiro.
Estabeleça a relação entre dois dos principais autores e as características de suas obras.

1) Graciliano Ramos
2) José Lins do Rego

( ) Como romancista, suas obras mais marcantes estão reunidas no ciclo da cana-de-açúcar, quando escreveu sobre a vida nos engenhos de açúcar do Nordeste.
( ) Entre suas obras principais, estão "São Bernardo", "Vidas Secas" e o autobiográfico "Memórias do Cárcere". Escreve sobre o universo rural nordestino, sem qualquer traço de nostalgia.
( ) Em seus romances, o psicológico e o social se interrelaciona de forma tão contínua que é difícil estabelecer separações.
( ) Partindo de experiências autobiográficas, escreveu romances onde o memorialismo predominava sobre a pura ficção. Escreveu "Fogo Morto", sua obra prima.

A seqüência correta é:
a) 1, 2, 1 e 2
b) 2, 1, 2 e 1
c) 1, 2, 2 e 1
d) 2, 1, 1 e 2
e) 1, 1, 2 e 2



resposta:[D]

vestibular Ufpel2000
tópico:Literatura

sub-grupo:Modernismo
pergunta:Leia com atenção a seguinte passagem, retirada do livro "Para entender o texto - leitura e redação", de Platão & Fiorin, Editora Ática.

"Com muita freqüência um texto retoma passagens de outro. Quando um texto de caráter científico cita outros textos, isso é feito de maneira explícita. O texto citado vem entre aspas e em nota indica-se o autor e o livro donde se extraiu a citação.
Num texto literário, a citação de outros textos é implícita, ou seja, um poeta ou romancista não indica o autor e a obra donde retira as passagens citadas, pois pressupõe que o leitor compartilhe com ele um mesmo conjunto de informações a respeito das obras que compõem um determinado universo cultural. Os dados a respeito dos textos literários, mitológicos, históricos são necessários, muitas vezes, para a compreensão global de um texto.
A essa citação de um texto por outro, a esse diálogo entre textos dá-se o nome de intertextualidade.
(...)
Um texto cita outra com, basicamente, duas finalidades distintas:
a) para reafirmar alguns dos sentidos do texto citado;
b) para inverter, contestar e deformar alguns dos sentidos do texto citado; para polemizar com ele".

Com base nisso, observe os três textos a seguir:

TEXTO 1:

Pescador tão entretido
numa pedra ao sol,
esperando o peixe ferido
pelo teu anzol,

há um fio do céu descido
sobre o teu coração:
de longe estás sendo ferido
por outra mão.

MEIRELES, Cecília. "Flor de poemas". 3 edição - Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1972. p.162

TEXTO 2:

"tô descendo a serra
cego pela serração*
salvo pela imagem
pela imaginação
de uma bailarina no asfalto
fazendo curvas sobre patins

tô descendo a serra
cego pela neblina
você nem imagina
como tem curvas esta estrada
ela parece uma serpente morta
às portas do paraíso

o inferno ficou para trás
com as luzes lá em cima
o céu não seria rima
nem seria solução"
* (sic)

Engenheiros do Hawai

TEXTO 3:

Relacionando o fragmento extraído de Platão & Fiorin, o seu conhecimento e os textos apresentados, podemos afirmar que
a) no texto 3, não se evidencia intertextualidade, pois ela ocorre somente entre textos literários.
b) nos textos 1 e 2 evidencia-se intertextualidade: esses textos remetem, respectivamente, a "No meio do caminho" e "Confidência de Itabirano", de Drummond.
c) no texto 1 evidencia-se intertextualidade: ele remete a "No meio do caminho", de Drummond.
d) nos textos 2 e 3 evidencia-se intertextualidade: esses textos remetem, respectivamente, a "Poema de sete faces" e "No meio do caminho", de Carlos Drummond de Andrade.
e) no texto 2, evidencia-se intertextualidade: ele remete a "Confidência de Itabirano", de Drummond.


resposta:[D]

vestibular Ufpel2000
tópico:Literatura

sub-grupo:Modernismo
pergunta:Os nomes das personagens podem constituir-se num valioso recurso do autor para conotar aspectos de suas personalidades. Como exemplo disso, podemos citar Quitéria Campolargo, personagem que representava a aristocracia rural em "Incidente em Antares", de Érico Veríssimo.
Nos romances indicados para esta prova, os nomes de personagens, de locais, etc. também parecem não ter sido escolhidos aleatoriamente pelos autores, mantendo, assim, relação com características que são evidenciadas na obra.

Assinale a alternativa em que há uma relação impossível de ser justificada.
a) São Bernardo é o nome da fazenda que era a ambição de Paulo Honório. O nome de santo da terra demonstra um paradoxo entre a "santidade" da terra e a postura de quem por ela oprime.
b) Policarpo, segundo o dicionário Aurélio, significa " (Bot.). Que tem ou produz muitos frutos". Tal escolha denota uma ironia de Lima Barreto para com seu protagonista, pois do ufanismo de Policarpo não resulta nenhuma melhoria ou utilidade ao país.
c) Blau, segundo o dicionário, significa "(heráld.) Diz-se da cor azul dos brasões" e Nunes, "Ímpar. O número ímpar". Podemos entender, pois, que Blau Nunes seria um "nobre errante" que conta suas histórias.
d) Palha, marido de Sofia em Quincas Borba, é um sujeito de pouco valor, que quase nada faz para evitar a ruína de Rubião, que tanto o ajudou.
e) Sofia quer dizer sabedoria, em grego, daí filosofia - amigo da sabedoria. A personagem Sofia, de Quincas Borba, demonstra um saber, um poder de manipular, como no caso em que vê, na atração de Rubião, uma oportunidade de ela e Palha obterem vantagens.



resposta:[C]

vestibular Ufpel2000
tópico:Literatura

sub-grupo:Modernismo
pergunta:Ao preparar-se para a prova de literatura, você deve ter lido o seguinte poema de Carlos Drummond de Andrade:

Quadrilha

João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém.
João foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto
Fernandes

A interpretação que você faz de uma obra literária baseia-se no seu grau de leitura, de conhecimento, de amadurecimento pessoal e nas experiências que você já teve ou sobre as quais já pensou, desde que ela mantenha coerência com o texto.

Nas alternativas abaixo, apresentamos algumas interpretações possíveis para "Quadrilha". Cabe a você, refletindo sobre elas, assinalar aquela que NÃO apresenta coerência com o texto e com seus conhecimentos de literatura.
a) A estrutura oracional do poema, em que o objeto de um verbo está representado no sujeito do verbo seguinte, remete-nos à dança em que há uma constante troca de pares. Essa idéia é reforçada pelo título.
b) O ponto final, no terceiro verso, indica a "quebra", o limite entre o mundo das lembranças, dos sonhos (antes do sinal de pontuação) e o da realidade (depois dele).
c) Lili, a única na trama que não amava ninguém, casou-se por interesse, uma vez que o seu par é indicado pelo sobrenome.
d) As personagens que antes apareciam com suas vidas entrelaçadas, ao final dispersam-se, o que conota a idéia de desencontro, tema bastante presente na poética do autor.
e) O eu-lírico do poema aparece com o nome de J. Pinto Fernandes, daí o conteúdo do último verso, já que o eu-lírico é uma entidade externa ao poema.



resposta:[E]