Questões de Literatura - Perguntas e Respostas Comentadas - Exercícios
questões de vestibulares
|
 

Questões Literatura

REF. Perguntas / Respostas
vestibular Ufu2006
tópico:Literatura

sub-grupo:Modernismo
pergunta:Em 30 de julho deste ano, comemora-se o centenário de nascimento do poeta gaúcho Mario Quintana. Seu estilo plural incorpora, ao longo da produção poética, o parnasianismo, o simbolismo, o modernismo.

Leia o poema seguinte e marque a afirmativa INCORRETA.

Poeminho do contra

Todos esses que aí estão
Atravancando o meu caminho,
Eles passarão...
Eu passarinho!
Mario Quintana. "Poesia Completa."

a) A regularidade métrica, as rimas ricas, a postura descritiva, o tema elevado e a linguagem clássica fazem desse poema um exemplar do parnasianismo.
b) Não se pode dizer que o poema é simbolista somente porque apresenta musicalidade na linguagem e evoca o símbolo do pássaro para definir a subjetividade do poeta.
c) O poema é modernista: usa linguagem coloquial, vale-se da brevidade, da surpresa, do humor e da ironia para versar sobre o tema das difíceis relações humanas.
d) Há ambigüidade nos dois últimos versos: ao mesmo tempo em que seus detratores são maiores e terão vida efêmera (passarão), o poeta, menor (passarinho), permanecerá.



resposta:[A]

vestibular Puc-rio2006
tópico:Literatura

sub-grupo:Barroco
pergunta:Uma das mais importantes características da obra do Padre Antonio Vieira refere-se à presença constante em seus sermões das dimensões social e política, somadas à religiosa. Comente esta afirmativa em função do Texto 1 apresentado.



resposta:Há no texto um bom exemplo da preocupação do Padre Antonio Vieira com temas de caráter social e de dimensão política. A aproximação e a comparação da figura de Alexandre Magno, grande conquistador do mundo antigo, com a do pirata saqueador mostram uma crítica aos valores morais e a visão ideológica do autor.

vestibular Ueg2006
tópico:Literatura

sub-grupo:Modernismo
pergunta:Em "São Bernardo", são expostas duas etapas da vida de Paulo Honório: a primeira, relativa ao seu passado (tempo do enunciado), e a segunda, correspondente ao seu presente (tempo da enunciação). Com base nessa divisão, pode-se considerar que
a) Paulo Honório demonstra ter sido um homem mais sensível no passado, transformando-se, com a morte de Madalena, em um homem bruto.
b) a narrativa do presente é mais distanciada, como se Paulo Honório não participasse dos fatos que enuncia; já a narrativa do passado é feita de forma mais aproximada.
c) a narrativa de Paulo Honório não tende para a objetividade, tanto em relação ao passado quanto em relação ao presente.
d) o marco diferencial entre o passado e o presente de Paulo Honório é a morte de Madalena.



resposta:[D]

vestibular Ueg2006
tópico:Literatura

sub-grupo:Simbolismo
pergunta:ÚLTIMOS VERSOS

Na tristeza do céu, na tristeza do mar,
eu vi a lua cintilar.
Como seguia tranqüilamente
por entre nuvens divinais!
Seguia tranqüilamente
como se fora a minh'Alma,
silente,
calma,
cheia de ais.
A abóboda celeste,
que se reveste
de astros tão belos,
era um país repleto de castelos.
E a alva lua, formosa castelã,
seguia
envolta num sudário alvíssimo de lã,
como se fosse
a mais que pura Virgem Maria...
Lua serena, tão suave e doce,
do meu eterno cismar,
anda dentro de ti a mágoa imensa
do meu olhar!
GUIMARAENS, Alphonsus de. "Melhores poemas". Seleção de Alphonsus de Guimaraens Filho. São Paulo: Global, 2001, p. 161.


Entre as características poéticas de Alphonsus de Guimaraens, predomina no poema apresentado
a) o diálogo com amada.
b) o poema-profanação.
c) as imagens de morte.
d) o poema-oração.



resposta:[C]

vestibular Enem2006
tópico:Literatura

sub-grupo:Modernismo
pergunta:NAMORADOS
O rapaz chegou-se para junto da moça e disse:
- Antônia, ainda não me acostumei com o seu
[corpo, com a sua cara.
A moça olhou de lado e esperou.
- Você não sabe quando a gente é criança e de
[repente vê uma lagarta listrada?
A moça se lembrava:
- A gente fica olhando...
A meninice brincou de novo nos olhos dela.
O rapaz prosseguiu com muita doçura:
- Antônia, você parece uma lagarta listrada.
A moça arregalou os olhos, fez exclamações.
O rapaz concluiu:
- Antônia, você é engraçada! Você parece louca.
Manuel Bandeira. "Poesia completa & prosa". Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1985.

No poema de Bandeira, importante representante da poesia modernista, destaca-se como característica da escola literária dessa época
a) a reiteração de palavras como recurso de construção de rimas ricas.
b) a utilização expressiva da linguagem falada em situações do cotidiano.
c) a criativa simetria de versos para reproduzir o ritmo do tema abordado.
d) a escolha do tema do amor romântico, caracterizador do estilo literário dessa época.
e) o recurso ao diálogo, gênero discursivo típico do Realismo.



resposta:[B]

vestibular Enem2006
tópico:Literatura

sub-grupo:Modernismo
pergunta:ERRO DE PORTUGUÊS
Quando o português chegou
Debaixo de uma bruta chuva
Vestiu o índio
Que pena!
Fosse uma manhã de Sol
O índio tinha despido
O português.
Oswald de Andrade. "Poesias reunidas". Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

O primitivismo observável no poema anterior, de Oswald de Andrade, caracteriza de forma marcante
a) o regionalismo do Nordeste.
b) o concretismo paulista.
c) a poesia Pau-Brasil.
d) o simbolismo pré-modernista.
e) o tropicalismo baiano.



resposta:[C]

vestibular Enem2006
tópico:Literatura

sub-grupo:Modernismo
pergunta:No poema "Procura da poesia", Carlos Drummond de Andrade expressa a concepção estética de se fazer com palavras o que o escultor Michelângelo fazia com mármore. O fragmento a seguir exemplifica essa afirmação.

"(...)
Penetra surdamente no reino das palavras.
Lá estão os poemas que esperam ser escritos.
(...)
Chega mais perto e contempla as palavras.
Cada uma
tem mil faces secretas sob a face neutra
e te pergunta, sem interesse pela resposta,
pobre ou terrível, que lhe deres:
trouxeste a chave?"
Carlos Drummond de Andrade. "A rosa do povo". Rio de Janeiro: Record, 1997, p. 13-14.

Esse fragmento poético ilustra o seguinte tema constante entre autores modernistas:
a) a nostalgia do passado colonialista revisitado.
b) a preocupação com o engajamento político e social da literatura.
c) o trabalho quase artesanal com as palavras, despertando sentidos novos.
d) a produção de sentidos herméticos na busca da perfeição poética.
e) a contemplação da natureza brasileira na perspectiva ufanista da pátria.



resposta:[C]

vestibular Enem2006
tópico:Literatura

sub-grupo:Modernismo
pergunta:No romance "Vidas Secas", de Graciliano Ramos, o vaqueiro Fabiano encontra-se com o patrão para receber o salário. Eis parte da cena:

¢Não se conformou: devia haver engano. (...) Com certeza havia um erro no papel do branco. Não se descobriu o erro, £e Fabiano perdeu os estribos. ¤Passar a vida inteira assim no toco, ¥entregando o que era dele de mão beijada! Estava direito aquilo? Trabalhar como negro e nunca arranjar carta de alforria?
O patrão zangou-se, repeliu a insolência, achou bom que o vaqueiro fosse procurar serviço noutra fazenda.
¦Aí Fabiano baixou a pancada e amunhecou. Bem, bem. Não era preciso barulho não.
Graciliano Ramos. "Vidas Secas". 91 ed. Rio de Janeiro: Record, 2003.

No fragmento transcrito, o padrão formal da linguagem convive com marcas de regionalismo e de coloquialismo no vocabulário. Pertence à variedade do padrão formal da linguagem o seguinte trecho:
a) "Não se conformou: devia haver engano" (ref. 1).
b) "e Fabiano perdeu os estribos" (ref. 2).
c) "Passar a vida inteira assim no toco" (ref. 3).
d) "entregando o que era dele de mão beijada!" (ref. 4).
e) "Aí Fabiano baixou a pancada e amunhecou" (ref. 5).



resposta:[A]

vestibular Cp2 -2006
tópico:Literatura

sub-grupo:Contemporânea
pergunta:No 7¡. parágrafo do texto, Lya Luft afirma que há uma "vasta confraria da mediocridade, que cultua o mais fácil, o mais divertido, o que todo mundo pensa ou faz."
Observe o cartum de Babette Harper e indique os elementos não-verbais que nele representam possíveis membros dessa "confraria da mediocridade".


resposta:Esses elementos são: o sorriso, o olhar, a forma das circunferências/figuras que sorriem.

vestibular Fatec2006
tópico:Literatura

sub-grupo:Realismo/Naturalismo/Parnasianismo
pergunta:Considerando o fragmento de "O enfermeiro", é correto afirmar que, na obra de Machado de Assis,
a) os impulsos doentios e as atitudes criminosas do homem são dois de seus principais temas.
b) os comportamentos humanos são analisados em função das relações sociais.
c) são constantes as referências religiosas e bíblicas, atestando a confiança do homem que obedece à moral cristã.
d) os personagens se conduzem de acordo com as normas éticas universais, mesmo quando infringem as leis dos homens.
e) os negros surgem como personagens secundários, em posição de servos incompetentes, justificando-se, assim, a existência do regime escravocrata.



resposta:[B]

vestibular Ufu2006
tópico:Literatura

sub-grupo:Arcadismo
pergunta:Leia as afirmativas seguintes e marque a correta.
a) "Assim procedo. Minha pena/ Segue esta norma,/ Por te servir, Deusa serena,/ Serena Forma!" (Olavo Bilac). Estes versos falam dos sofrimentos do poeta que, mesmo penando, serve à sua formosa mulher amada, procedimento típico daquele amor exacerbado que caracteriza o Romantismo.
b) "Adeus, meus sonhos, eu pranteio e morro!/ Não levo da existência uma saudade!/ E tanta vida que meu peito enchia/ Morreu na minha triste mocidade!" (Álvares de Azevedo). Estes versos mostram desencanto, ao falarem das esperanças que morrem cedo e da existência como um fardo, caracterizando a geração dos poetas realistas.
c) "Quando levares, Marília,/ Teu ledo rebanho ao prado,/ Tu dirás: Aqui trazia/ Dirceu também o seu gado." (Tomás A. Gonzaga). São características do Arcadismo, período literário a que pertencem estes versos, o poeta e a amada transformados em pastores, a linguagem clara e objetiva.
d) "tchi tchi/ trã trã trã/ tarã Tarã Tarã / tchi tchi tchi tchi tchi/ Tarã Tarã Tarã Tarã Tarã" (Ferreira Gullar). Estes versos, que imitam os sons de uma locomotiva, fazem de seu autor um dos representantes do Simbolismo, período literário caracterizado pela musicalidade da linguagem.



resposta:[C]

vestibular Ufu2006
tópico:Literatura

sub-grupo:Modernismo
pergunta:CONGRESSO INTERNACIONAL DO MEDO

Provisoriamente não cantaremos o amor,
que se refugiou mais abaixo dos subterrâneos.
Cantaremos o medo, que esteriliza os abraços,
não cantaremos o ódio porque esse não existe,
existe apenas o medo, nosso pai e nosso companheiro,
o medo grande dos sertões, dos mares, dos desertos,
o medo dos soldados, o medo das mães, o medo das igrejas,
cantaremos o medo dos ditadores, o medo dos democratas,
cantaremos o medo da morte e o medo de depois da morte,
depois morreremos de medo
e sobre nossos túmulos nascerão flores amarelas e medrosas.
(Carlos Drummond de Andrade, "Sentimento do mundo").

Assinale a afirmativa que NÃO se refere ao poema anterior.
a) "Seu lirismo, sem prejuízo da mais alta qualidade, nunca foi puro, mas mesclado de drama e pensamento". (Davi Arrigucci).
b) "Na sua poesia, o "prosaico" não é negação, é antes condição do poético - (...) é um modo, em outras palavras, de intensificar-se o poético pela própria força do contraste." (Sérgio Buarque de Holanda).
c) "(...) com esse volume inicia-se a descoberta e conquista do tempo. O gauche que vivia a espiar de um canto sombrio e torto começa a se mover e explorar o espaço e o tempo ao seu redor". (Affonso Romano de Sant'Anna).
d) "A poesia de Carlos Drummond de Andrade, poesia de precisão máxima, está sem música". (Otto Maria Carpeaux).



resposta:[D]