Questões de Literatura - Perguntas e Respostas Comentadas - Exercícios
questões de vestibulares
|
 

Questões Literatura

REF. Perguntas / Respostas
vestibular Ufpr2008
tópico:Literatura

sub-grupo:Contemporânea
pergunta:"Onde há tutu, os piranhudos vêm morder. E já era assim no tempo dos antigos. Por essas e por outras, isto aqui que trago à direita da cintura, enrustido, mas fazendo volume do lado de fora do paletó, não é nenhuma lata de vaselina. É uma automática, de pente pronto, cheio, dessas máquinas de guerra que comprei de um marítimo e que só os majorangos das três armas podem usar."

Esse é o último parágrafo do conto "Leão-de-chácara", do livro de mesmo título (1975), de João Antônio. Sobre o conto e a obra, considere as seguintes afirmativas:

1. Ao invés de mera representação documental da fala popular, a linguagem do livro opera uma produtiva fusão entre a linguagem da tradição literária e a oralidade do período.
2. O narrador, leão-de-chácara de "buate", fizera vários trabalhos na vida, e no momento trabalhava como "leão", levando a vida na noite, desgarrado de qualquer ambiente familiar.
3. Pela presença de uma linguagem mais próxima da oralidade e por envolver estratos menos favorecidos da sociedade, a obra se revela uma exceção num período em que a literatura brasileira passava por uma reação particularmente conservadora, formal e tematicamente.
4. A arma de fogo que o narrador descreve, dessas que "só os majorangos das três armas podem usar", revela um dos muitos exemplos das relações mantidas por classes sociais distintas com o submundo apresentado na obra.

Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas 1 e 4 são verdadeiras.
b) Somente as afirmativas 1, 2 e 3 são verdadeiras.
c) Somente as afirmativas 3 e 4 são verdadeiras.
d) Somente as afirmativas 1, 3 e 4 são verdadeiras.
e) Somente as afirmativas 2 e 4 são verdadeiras.



resposta:[A]

vestibular Fuvest2008
tópico:Literatura

sub-grupo:Contemporânea
pergunta:A BORBOLETA

Cada vez que o poeta cria uma borboleta, o leitor exclama: "Olha uma borboleta!" O crítico ajusta os *nasóculos e, ante aquele pedaço esvoaçante de vida, murmura: - Ah!, sim, um lepidóptero...
(Mário Quintana, "Caderno H".)

*nasóculos = óculos sem hastes, ajustáveis ao nariz.

Depreende-se desse fragmento que, para Mário Quintana,
a) a crítica de poesia é meticulosa e exata quando acolhe e valoriza uma imagem poética.
b) uma imagem poética logo se converte, na visão de um crítico, em um referente prosaico.
c) o leitor e o poeta relacionam-se de maneira antagônica com o fenômeno poético.
d) o poeta e o crítico sabem reconhecer a poesia de uma expressão como "pedaço esvoacante de vida".
e) palavras como "borboleta" ou "lepidóptero" mostram que há convêrgencia entre as linguagens da ciência e da poesia.



resposta:[B]

vestibular Fuvest2008
tópico:Literatura

sub-grupo:Realismo/Naturalismo/Parnasianismo
pergunta:Considerando-se o contexto desse romance de Machado de Assis, pode-se afirmar corretamente que, no trecho apresentado, ao comentar o próprio estilo, o narrador procura
a) afiançar a credibilidade do ponto de vista que lhe interessa sustentar.
b) provocar o leitor, ao declará-lo incapaz de compreender o enredo do livro.
c) demonstrar que os assuntos do livro são mero pretexto para a prática da metalinguagem.
d) revelar sua adesão aos padrões literários estabelecidos pelo Romantismo.
e) conferir autoridade à narrativa, ao basear sua argumentação na História Sagrada.



resposta:[A]

vestibular Fuvest2008
tópico:Literatura

sub-grupo:Realismo/Naturalismo/Parnasianismo
pergunta:Considere as seguintes afirmações sobre três obras literárias:

Na primeira obra, o catolicismo apresenta-se como religião absoluta, cujos princípios sólidos mais sobressaem ao serem contrapostos às desordens humanas. Na segunda obra, diferentemente, ele aparece como religião relativamente maleável, cujos preceitos as personagens acabam por adaptar a seus desejos e conveniências, sem maiores problemas de consciência subseqüentes. Já na terceira obra, o catolicismo comparece sobretudo como parte de um resgate mais amplo de valores familiares e tradicionais, empreendido pelo protagonista.

Essas afirmações referem-se, respectivamente, às seguintes obras:
a) "Dom Casmurro", "Memórias de um sargento de milícias" e "Auto da barca do inferno".
b) "Memórias de um sargento de milícias", "A hora e vez de Augusto Matraga" e "Vidas secas".
c) "A hora e vez de Augusto Matraga", "A cidade e as serras" e "Memórias de um sargento de milícias".
d) "Auto da barca do inferno", "Dom Casmurro" e "A cidade e as serras".
e) "A cidade e as serras", "Vidas secas" e "Auto da barca do inferno".



resposta:[D]

vestibular Fuvest2008
tópico:Literatura

sub-grupo:Modernismo
pergunta:Considere as seguintes comparações entre "Vidas secas" e "Iracema":

I. Em ambos os livros, a parte final remete o leitor ao início da narrativa: em "Vidas secas", essa recondução marca o retorno de um fenômeno cíclico; em "Iracema", a remissão ao início confirma que a história fora contada em retrospectiva, reportando-se a uma época anterior à da abertura da narrativa.
II. A necessidade de migrar é tema de que "Vidas secas" trata abertamente. O mesmo tema, entretanto, já era sugerido no capítulo final de "Iracema", quando, referindo-se à condição de migrante de Moacir, "o primeiro cearense", o narrador pergunta: "Havia aí a predestinação de uma raça?"
III. As duas narrativas elaboram suas tramas ficcionais a partir de indivíduos reais, cuja existência histórica, e não meramente ficcional, é documentada: é o caso de Martim e Moacir, em "Iracema", e de Fabiano e sinha Vitória, em "Vidas secas".

Está correto o que se afirma em
a) I, somente.
b) II, somente.
c) I e II, somente.
d) II e III, somente.
e) I, II e III.



resposta:[C]

vestibular Fuvest2008
tópico:Literatura

sub-grupo:Realismo/Naturalismo/Parnasianismo
pergunta:Apesar de viver "um pouco ao sabor da sorte", "sem plano nem reflexão", "movido pelas circunstâncias", como uma espécie de "títere" (expressões de Antonio Candido), o protagonista das "Memórias de um sargento de milícias", Leonardo (filho), como outras personagens do romance, mostra-se bastante determinado quando se trata de
a) estabelecer estratégias para ascender na escala social.
b) assumir rixas, tirar desforras e executar vinganças.
c) demonstrar afeto e gratidão por aqueles que o amparam e defendem.
d) buscar um emprego que lhe garanta a subsistência imediata.
e) conservar-se fiel ao primeiro amor de sua vida.



resposta:[B]

vestibular Fuvest2008
tópico:Literatura

sub-grupo:Modernismo
pergunta:Entre os seguintes versos de Alberto Caeiro, aqueles que, tomados em si mesmos, expressam ponto de vista frontalmente contrário a orientação dominante que se manifesta em A ROSA DO POVO, de Carlos Drummond de Andrade, são os que estão em:
a) "Se o que escrevo tem valor, não sou eu que o tenho: / O valor está ali, nos meus versos."
b) "Eu nunca daria um passo para alterar / Aquilo a que chamam a injustiça do mundo."
c) "Como o campo é grande e o amor pequeno! / Olho, e esqueço, como o mundo enterra e as árvores se despem."
d) "Quando a erva crescer em cima da minha sepultura, / seja esse o sinal para me esquecerem de todo."
e) "Quem me dera que eu fosse o pó da estrada / E que os pés dos pobres me estivessem pisando..."



resposta:[B]

vestibular Pucsp2008
tópico:Literatura

sub-grupo:Teoria Literária
pergunta:A um conjunto de regularidades relativamente estáveis no que diz respeito à função social, produção, circulação e consumo de um texto, bem como aos seus aspectos composicionais e lingüísticos, dá-se o nome de gênero textual. É por razões assim que um leitor proficiente não confunde uma receita de bolo com uma carta, uma passagem de ônibus com uma nota fiscal, por exemplo.
Considerando para o texto esses mesmos aspectos, é possível afirmar que ele pertence ao gênero:
a) Relatório.
b) Editorial.
c) Notícia.
d) Resenha.
e) Artigo.



resposta:[C]

vestibular Pucsp2008
tópico:Literatura

sub-grupo:Trovadorismo
pergunta:Gil Vicente escreveu o "Auto da Barca do Inferno" em 1517, no momento em que eclodia na Alemanha a Reforma Protestante, com a crítica veemente de Lutero ao mau clero dominante na igreja. Nesta obra, há a figura do frade, severamente censurado como um sacerdote negligente. Indique a alternativa cujo conteúdo NÃO se presta a caracterizar, na referida peça, os erros cometidos pelo religioso.
a) Não cumprir os votos de celibato, mantendo a concubina Florença.
b) Entregar-se a práticas mundanas, como a dança.
c) Praticar esgrima e usar armamentos de guerra, proibidos aos clérigos.
d) Transformar a religião em manifestação formal, ao automatizar os ritos litúrgicos.
e) Praticar a avareza como cúmplice do fidalgo, e a exploração da prostituição em parceria com a alcoviteira.



resposta:[E]

vestibular Pucsp2008
tópico:Literatura

sub-grupo:Realismo/Naturalismo/Parnasianismo
pergunta:A respeito de Capitu, personagem do romance "Dom Casmurro", de Machado de Assis, é correto afirmar que
a) é a figura central da trama narrativa porque se envolve em uma situação de adultério que leva à destruição de seu casamento com Bentinho.
b) tem um papel secundário e insignificante na ordem do enredo, já que todas as ações da narrativa convergem para um desfecho do qual ela não participa.
c) é caracterizada pelo agregado José Dias como cigana oblíqua e dissimulada e sobre ela incide ainda a metáfora de "olhos de ressaca", que lhe é atribuída por Bentinho.
d) deixa transparecer uma relação clandestina com Escobar, explicitada nas lágrimas dela no momento da encomendação e partida do corpo do nadador da manhã.
e) recaem sobre ela incriminações de ordem moral que a fazem merecedora das desconfianças dos amigos e do fim trágico a que chegou.



resposta:[C]

vestibular Pucsp2008
tópico:Literatura

sub-grupo:Modernismo
pergunta:Leia o poema a seguir, de Alberto Caeiro, e indique a alternativa que estabelece conexão entre o poeta e o texto.
Eu não tenho filosofia: tenho sentidos...
Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é,

Mas porque a amo, e amo-a por isso,
Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem sabe por que ama, nem o que é amar...

Amar é a eterna inocência,
E a única inocência não pensar...

a) Médico e estudioso da cultura clássica, desenvolve em seus poemas temas mitológicos, em composições denominadas odes.
b) Poeta bucólico, vive em contato direto com a natureza; daí sua lógica ser a mesma da ordem natural.
c) Como engenheiro do século XX e poeta futurista, os temas de sua obra estão voltados para as fábricas, a energia elétrica, as máquinas e a velocidade.
d) Apresenta um conceito direto das coisas, um objetivismo absoluto, apesar de a sensação não se manifestar em seus poemas.
e) Cultor do paganismo, foi mestre apenas de Fernando Pessoa e manteve-se distanciado dos demais heterônimos.



resposta:[D]

vestibular Pucsp2008
tópico:Literatura

sub-grupo:Modernismo
pergunta:João Guimarães Rosa escreveu "Sagarana" em 1946, obra composta de nove contos, entre os quais se destaca "O Burrinho Pedrês". Leia o trecho que segue. Galhudos, gaiolos, estrelos, espácios, combucos, cubetos, lobunos, lompardos, caldeiros, cambraias, chamurros, churriados, corombos, cornetos, bocalvos, borralhos, chumbados, chitados, vareiros, silveiros... E os tocos da testa do mocho macheado, e as armas antigas
do boi cornalão...

Deste trecho é correto afirmar que é marcadamente ritmado e sonoro. Esses efeitos se alcançam por causa
a) de uma possível métrica presente no trecho, caracterizada como redondilha menor, e da presença de aliterações.
b) da diversidade de tipos de bois e do jogo contrastivo de termos que designam essa diversidade.
c) das medidas dos diferentes segmentos frásicos e pela dominante presença da redondilha maior.
d) da enumeração caótica estabelecida no jogo adjetivo dos termos e pela rima interna na constituição dos pares vocabulares.
e) do jogo sonoro provocado pela dominância de vogais fechadas e pela presença de cadência de sons apenas longos e átonos.



resposta:[A]