Banco de dados de questões sobre Romantismo
questões de vestibulares
|
 

Questões Romantismo

REF. Pergunta/Resposta
origem:Unicamp
tópico:
Literatura

sub-grupo:Romantismo

pergunta:Em AS PUPILAS DO SENHOR REITOR, personagens como o Sr. reitor, João Semana, José das Dornas, Guida, são apresentadas de forma positiva, representando valores morais preservados no campo. Nem todas as personagens, contudo, são vistas dessa maneira positiva.
a) Aponte duas personagens (ou grupo de personagens) que são caracterizadas negativamente, explicitando os valores que representam.
b) As personagens de NOITE NA TAVERNA, de Álvares de Azevedo, também apresentam alguns comportamentos considerados negativos. Identifique dois deles.
c) Como se relacionam esses aspectos apresentados como negativos nesses dois romances de tendências românticas e ultra-românticas?




resposta:a) Clara - egoísta, preguiçosa, quer o que é de Guido, até o amor.
Daniel - mulherengo, irresponsável, inconseqüente.

b) Solfieri - bêbado, necrófilo, religiosidade sacrílega.
Bertram - assassino, sem escrúpulo, suicida.

c) Nos romances ultra-românticos os aspectos negativos estão ligados à fantasia; já em AS PUPILAS DO SENHOR REITOR as personagens se equilibram para dar à obra uma visão harmônica, de classe média, podendo tornar-se íntegras.

origem:Unesp
tópico:
Literatura

sub-grupo:Romantismo

pergunta:Não são poucos os casos em que, no interior do próprio romance, os autores revelam preocupação quanto à recepção de seus textos. Há aqueles que explicitam esta preocupação como pretexto literário, irônico, como é o caso de Camilo Castelo Branco. No trecho em pauta, o narrador revela ter opinião definida sobre as reações do leitor frente a Calisto Elói, o protagonista de "A queda dum Anjo". Releia o fragmento que lhe apresentamos e, a seguir, responda:
a) De acordo com o narrador, o leitor é um ser ativo ou passivo na recepção de um romance? Cite um trecho que justifique sua resposta.
b) De acordo com o narrador, que imagem o leitor fizera de Calisto Elói, positiva ou negativa? Cite um trecho que justifique sua resposta.




resposta:a) Ativo: "... a imaginativa do leitor aperfeiçoa o que sai muito em sombra ..."
b) Negativa: "Estou a adivinhar que o enquadraram já em molde grotesco ..."

origem:Unicamp
tópico:
Literatura

sub-grupo:Romantismo

pergunta:Casimiro de Abreu é um poeta romântico e Cacaso é um poeta contemporâneo. "E Com Vocês a Modernidade", de Cacaso, remete-nos ao poema "Meus Oito Anos", de Casimiro de Abreu. Leia, com atenção, os dois textos a seguir transcritos e, aproximando seus elementos comuns e distinguindo os elementos divergentes, explique como o poema contemporâneo dialoga com a tradição romântica.

"Oh! que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida,
Que os anos não trazem mais!

Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
à sombra das bananeiras
Debaixo dos laranjais!"
(Casimiro de Abreu, "Meus oito Anos")

"Meu verso é profundamente romântico.
Choram cavaquinhos luares se derramam e vai
por aí a longa sombra de rumores e ciganos.

Ai que saudade que tenho de meus negros verdes anos!"
(Cacaso, "E Com Vocês a Modernidade", poema de Beijo na Boca, 1975)




resposta:Elementos comuns: subjetivismo, saudosismo.
Elementos divergentes: métrica (redondilhos x versos livres); o passado em Casimiro é exaltado, mas em Cacaso é ironizado.

origem:Unicamp
tópico:
Literatura

sub-grupo:Romantismo

pergunta:Em um romance, a pessoa que conta a história pode ser caracterizada como uma personagem fictícia, entre as demais, ou pode ser vista como uma figura mais próxima do autor de carne e osso.
Leia o trecho a seguir, retirado de A QUEDA DE UM ANJO, de Camilo Castelo Branco:
"Da maior, e talvez única dor literária de sua vida, fui eu causa. Calisto, pernoitando em não sei que solar de damas dadas à leitura amena, pediu algum livro, deram-lhe um romance meu. Consta-me que deixou o volume com as margens anotadas de galicismos e manchas de toda a casta. Imagine quantas punhaladas eu dei naquele lusitaníssimo coração."
(R.J., AGUILAR, 1969)

a) Como é caracterizado, nesse trecho, o "eu" que conta a história de Calisto Elói e a quem ele se dirige?
b) Que tipo de relação se estabelece entre o "eu" e a personagem Calisto Elói nesse trecho?




resposta:a) Como uma figura mais próxima do autor de carne e osso e fala diretamente ao leitor.
b) Relação de oposição.

origem:Unicamp
tópico:
Literatura

sub-grupo:Romantismo

pergunta:Com relação ao texto, responda:
a) Que efeito cria essa relação entre o "eu" e Calisto Elói sobre as críticas feitas ao estilo do autor?
b) Leia o último período do texto e explicite de que modo é possível relacioná-lo com o tema geral do romance.




resposta:a) O autor pode manter-se distante, pois não há vínculo entre ele e a personagem.
b) O nacionalismo extremado de Calisto Elói é atacado pelo autor.

origem:Unicamp
tópico:
Literatura

sub-grupo:Romantismo

pergunta:O crítico Alfredo Bosi, em sua 'História Concisa da Literatura Brasileira', tece algumas considerações sobre o romance 'Senhora', de José de Alencar:

Se admitimos que a [mola do enredo] é o fato de o jovem Seixas casar-se pelo dote, em virtude da educação que recebera, damos a Alencar o crédito de narrador realista, capaz de pôr no centro do romance não mais heróis (...) mas um ser venal, inferior. O que seria falso, pois o fato não passa de um recurso.

a) Cite uma passagem de Senhora que permita considerar Seixas como um "herói" e não como um "ser inferior".
b) "O fato não passa de um recurso". Considerando esta afirmação de A. Bosi, explicite as características do romance SENHORA que permitem considerá-lo uma obra romântica.




resposta:a) Seixas devolve o dote a Aurélia e recupera sua liberdade e sua honra.
b) A regeneração de Seixas e o final feliz.

origem:Unicamp
tópico:
Literatura

sub-grupo:Romantismo

pergunta:Leia com atenção o trecho a seguir, extraído do último capítulo de "Amor de Perdição", de CAMILO CASTELO BRANCO:

"Viram-na, um momento, bracejar, não para resistir à morte, mas para abraçar-se ao cadáver de Simão, que uma onda lhe atirou aos braços. O comandante olhou para o sítio donde Mariana se atirara, e viu, enleado no cordame, o avental, e à flor da água, um rolo de papéis, que os marujos recolheram na lancha."

a) Que relação há, em AMOR DE PERDIÇÃO, entre as personagens Simão e Mariana?
b) No trecho citado, o narrador menciona um "rolo de papéis". Que papéis são esses?
c) Considerando as respostas dadas aos itens a e b, analise a função desempenhada pela personagem Mariana na estrutura do romance.




resposta:a) Mariana ama Simão em segredo mas não é correspondida.
b) As cartas trocadas entre Simão e Teresa.
c) Ela funciona como elo entre Simão e Teresa e simboliza o amor puro e desinteressado.

origem:Fuvest
tópico:
Literatura

sub-grupo:Romantismo

pergunta:I. "Ah! Enquanto os destinos impiedosos
Não voltam contra nós a face irada,
Façamos, sim façamos, doce amada,
Os nossos breves dias mais ditosos."

II. "É a vaidade, Fábio, nesta vida,
Rosa, que da manhã lisonjeada
Púrpuras mil, com ambição dourada,
Airosa rompe, arrasta presumida."

III. "E quando, eu durmo, e o coração ainda
Procura na ilusão tua lembrança,
Anjo da vida, passa nos meus sonhos
E meus lábios orvalha de esperança!"

Associe os trechos anteriores com os respectivos movimentos literários, cujas características estão enunciadas a seguir.
Romantismo: evasão e devaneio na realização de um erotismo difuso.
Arcadismo: aproveitamento do momento presente ("carpe diem").
Barroco: efemeridade da beleza física, brevidade enganosa da vida.
a) I - Romantismo; II - Arcadismo; III - Barroco.
b) I - Barroco; II - Arcadismo; III - Romantismo.
c) I - Arcadismo; II - Romantismo; III - Barroco.
d) I - Arcadismo; II - Barroco; III - Romantismo.
e) I - Barroco; II - Arcadismo; III - Romantismo.




resposta:[D]

origem:Fuvest
tópico:
Literatura

sub-grupo:Romantismo

pergunta:I.
"Pálida, à luz da lâmpada sombria
Sobre o leito de flores reclinada,
Como a lua por noite embalsamada,
Entre as nuvens do amor, ela dormia!"

II.
"Uma noite, eu me lembro... Ela dormia
Numa rede encostada molemente..
Quase aberto o roupão... solto o cabelo
E o pé descalço no tapete rente. "

Os dois textos apresentam diferentes concepções da figura da mulher.
a) Apontar nos dois textos situações contrastantes que revelam essas diferentes concepções.
b) Se ambos os textos são românticos, como explicar a diferença no tratamento do tema?




resposta:a) No texto I a mulher está distante e envolta numa atmosfera mórbida. No texto II a mulher é mais terrena e tem maior sensualidade.

b) O texto I, de Álvares de Azevedo, pertence à 2 geração romântica e o texto II, de Castro Alves, pertence à 3 geração.

origem:Unicamp
tópico:
Literatura

sub-grupo:Romantismo

pergunta:"A moça trazia nessa ocasião um roupão de cetim verde cerrado à cintura por um cordão de fios de ouro. Era o mesmo da noite do casamento, e que desde então ela nunca mais usara. Por uma espécie de superstição lembrara-se de vesti-lo de novo, nessa hora na qual, a crer em seus pressentimentos, iam decidir-se afinal o seu destino e a sua vida.(...)
Ergueu-se então, e tirou da gaveta uma chave; atravessou a câmara nupcial (...) e abriu afoitamente aquela porta que havia fechado onze meses antes, num ímpeto de indignação e horror."

No trecho citado, extraído do capítulo final do romance SENHORA, de José de Alencar, o narrador faz referência a uma outra cena, passada no mesmo lugar, muito importante para o desenrolar do enredo. Pergunta-se:
a) que personagens protagonizam as duas cenas e qual a relação entre essas personagens no romance?
b) o que ocorreu na primeira vez em que essas personagens se encontraram na câmara nupcial?
c) como a cena descrita no trecho citado relaciona-se com a outra, referida pelo narrador, no interior do romance?




resposta:a) Aurélia e Fernando Seixas. São casados através de contrato.

b) Aurélia mostra seu desprezo por Seixas por este ter-se vendido.

c) Esta cena representa o resgate da relação fundada no amor puro, depois de saldada a dívida de Seixas com Aurélia.

origem:Unicamp
tópico:
Literatura

sub-grupo:Romantismo

pergunta:Manuel Antônio deseja contar de que maneira se vivia no Rio popularesco de D. João VI; as famílias mal organizadas, os vadios, as procissões, as festas e as danças, a polícia; o mecanismo dos empenhos, influências, compadrios, punições que determinavam certa forma de consciência e se manifestavam por certos tipos de comportamento (...). O livro aparece, pois, como seqüência de situações.
(Antônio Cândido, "Formação da Literatura Brasileira")

Podemos entender a "seqüência de situações" a que se refere Antônio Cândido como uma série de pequenos relatos no interior de MEMÓRIAS DE UM SARGENTO DE MILÍCIAS, de Manuel Antônio de Almeida.
a) Quem dá unidade, na obra, a essa seqüência de relatos aparentemente soltos?
b) Cite um desses relatos e mostre como ele se articula com a linha mestra do romance.




resposta:a) Leonardo.

b) Todos os episódios relacionam-se de alguma forma com Leonardo.

origem:Unicamp
tópico:
Literatura

sub-grupo:Romantismo

pergunta:No final do segundo ato de FREI LUÍS DE SOUSA, de Almeida Garrett, desenrola-se uma cena entre Frei Jorge e o Romeiro. O que está em questão é a identidade desse Romeiro, que sabemos ser D. João de Portugal:

"Jorge: Romeiro, romeiro! Quem és tu?
Romeiro (apontando com o bordão para o retrato de D. João de Portugal): Ninguém."

a) Por que D. João se apresenta disfarçado de romeiro?
b) Explique, com base na obra, por que D. João diz ser ninguém.




resposta:a) Para saber, incógnito, o que aconteceu durante o tempo em que ficou cativo entre os mouros.

b) Porque na sua terra e na sua família não há mais lugar para ele.

 


Próxima Página »

Página 1 de 33