Banco de dados de questões sobre Trovadorismo
questões de vestibulares
|
 

Questões Trovadorismo

REF. Pergunta/Resposta
origem:Unesp
tópico:
Literatura

sub-grupo:Trovadorismo

pergunta:O paralelismo é um dos recursos estilísticos mais comuns na poesia lírico-amorosa trovadoresca. Consiste na ênfase de uma idéia central, às vezes repetindo expressões idênticas, palavra por palavra, em séries de estrofes paralelas. A partir destas observações, releia o texto de Estêvão Coelho e responda:
a) O poema se estrutura em quantas séries de estrofes paralelas? Identifique-as.
b) Que idéias centrais são enfatizadas em cada série paralelística?




resposta:a) Em duas séries: as duas primeiras estrofes (uma série) e as duas estrofes seguintes (outra série).

b) Na primeira são enfatizados os afazeres da mulher; na segunda, o seu sofrimento.

origem:Unesp
tópico:
Literatura

sub-grupo:Trovadorismo

pergunta:Considerando-se que o último verso da cantiga caracteriza um diálogo entre personagens; considerando-se que a palavra "abutre" grafava-se "avuytor", em português arcaico; e considerando-se que, de acordo com a tradição popular da época, era possível fazer previsões e descobrir o que está oculto, comendo carne de abutre, mediante estas três considerações:
a) Identifique o personagem que se expressa em discurso direto, no último verso do poema;
b) Interprete o significado do último verso, no contexto do poema.




resposta:a) A mulher.
b) Ela considerou o poeta uma espécie de vidente, pois descobriu o seu sofrimento amoroso.

origem:Unesp
tópico:
Literatura

sub-grupo:Trovadorismo

pergunta:Assinale a alternativa INCORRETA com relação à Literatura Portuguesa:
a) O ambiente das cantigas de amor é sempre o palácio, com o trovador declarando seu amor por uma dama (tratada de "senhor", isto é, senhora). Daí o relacionamento respeitoso, cortês, dentro dos mais puros padrões medievais que caracterizam a vassalagem, a servidão amorosa.
b) o teatro vicentino é basicamente caracterizado pela sátira, criticando o comportamento de todas as camadas sociais: a nobreza, o clero e o povo. Gil Vicente não tem preocupação de fixar tipos psicológicos, e sim a de fixar tipos sociais.
c) o marco inicial do Romantismo em Portugal é a publicação do poema "Camões". Todavia, a nova estética literária só viria a se firmar uma década depois com a Questão Coimbrã, quando se aceitou o papel revolucionário da nova poesia e a independência dos novos poetas em relação aos velhos mestres.
d) Eça de Queirós, em sua obra, dedica-se a montar um vasto painel da sociedade portuguesa, retratada em seus múltiplos aspectos: a cidade provinciana; a influência do clero; a média e a alta burguesia de Lisboa; os intelectuais e a aristocracia.
e) A mais rica, densa e intrigante faceta da obra de Fernando Pessoa diz respeito ao fenômeno da heteronímia que deu aos poetas Alberto Caeiro, Ricardo Reis e Álvaro de Campos biografias, características, traços de personalidade e formação cultural diferentes.




resposta:[C]

origem:Mackenzie
tópico:
Literatura

sub-grupo:Trovadorismo

pergunta:Em meados do século XIV, a poesia trovadoresca entra em decadência, surgindo, em seu lugar, uma nova forma de poesia, totalmente distanciada da música, apresentando amadurecimento técnico, com novos recursos estilísticos e novas formas poemáticas, como a trova, a esparsa e o vilancete.

Assinale a alternativa em que há um trecho representativo de tal tendência.

a) Non chegou, madre, o meu amigo,
e oje est o prazo saido!
Ai, madre, moiro d'amor!

b) Êstes olhos nunca perderán,
senhor, gran coita, mentr'eu vivo fôr;
e direi-vos fremosa, mia senhor,
dêstes meus olhos a coita que han:
choran e cegan, quand'alguém non veen,
e ora cegan por alguen que veen.

c) Meu amor, tanto vos amo,
que meu desejo não ousa
desejar nehua cousa.

Porque, se a desejasse
,logo a esperaria,e se eu a esperasse,
sei que vós anojaria:
mil vezes a morte chamo
e meu desejo não ousa
desejar-me outra cousa.

d) Amigos, non poss'eu negar
a gran coita que d'amor hei,
ca me vejo sandeu andar,
e con sandece o direi:
os olhos verdes que eu vi
me fazen ora andar assi.

e) Ai! dona fea, foste-vos queixar
por (que) vos nunca louv'em meu cantar;
mais ora quero fazer um cantar,
em que vos loarei toda via;
e vedes como vos quero loar.
dona fea, velha e sandia!




resposta:[C]

origem:Mackenzie
tópico:
Literatura

sub-grupo:Trovadorismo

pergunta:Assinale a alternativa INCORRETA a respeito das cantigas de amor.
a) O ambiente é rural ou familiar.
b) O trovador assume o eu-lírico masculino: é o homem quem fala.
c) Têm origem provençal.
d) Expressam a "coita" amorosa do trovador, por amar uma dama inacessível.
e) A mulher é um ser superior, normalmente pertencente a uma categoria social mais elevada que a do trovador.




resposta:[A]

origem:Mackenzie
tópico:
Literatura

sub-grupo:Trovadorismo

pergunta:Sobre a poesia trovadoresca em Portugal, é INCORRETO afirmar que:
a) refletiu o pensamento da época, marcada pelo teocentrismo, o feudalismo e valores altamente moralistas.
b) representou um claro apelo popular à arte, que passou a ser representada por setores mais baixos da sociedade.
c) pode ser dividida em lírica e satírica.
d) em boa parte de sua realização, teve influência provençal.
e) as cantigas de amigo, apesar de escritas por trovadores, expressam o eu-lírico feminino.




resposta:[B]

origem:Unifesp
tópico:
Literatura

sub-grupo:Trovadorismo

pergunta:A alternativa que indica texto que faz parte da poesia medieval da fase trovadoresca é
a) I.
b) II.
c) III.
d) IV.
e) V.




resposta:[B]

origem:Unesp
tópico:
Literatura

sub-grupo:Trovadorismo

pergunta:Tanto na cantiga como no poema de Cecília Meireles verificam-se diferentes personagens: um eu-poemático, que assume a palavra, e um interlocutor ou interlocutores a quem se dirige. Com base nesta informação, releia os dois poemas e, a seguir,
a) indique o interlocutor ou interlocutores do eu-poemático em cada um dos textos.
b) identifique, em cada poema, com base na flexão dos verbos, a pessoa gramatical utilizada pelo eu-poemático para dirigir-se ao interlocutor ou interlocutores.




resposta:a) Na Cantiga, o eu-poemático feminino dirige-se a duas moças (chamadas de amigas e de irmãs) e faz delas interlocutoras de sua fala.
No poema, o eu-poemático mostra-se como um confidente que interpela uma moça apaixonada, que se torna interlocutora da voz lírica do texto.

b) Na cantiga, a 1 pessoa do plural é usada para se referir aos interlocutores (bailemos, nós).
No poema, a pessoa gramatical utilizada é a 2 do singular (irias, tu, teu).

origem:Unesp
tópico:
Literatura

sub-grupo:Trovadorismo

pergunta:A leitura da cantiga de Airas Nunes e do poema "Confessor Medieval", de Cecília Meireles, revela que este poema, mesmo tendo sido escrito por uma poeta modernista, apresenta intencionalmente algumas características da poesia trovadoresca, como o tipo de verso e a construção baseada na repetição e no paralelismo.
Releia com atenção os dois textos e, em seguida,
a) considerando que o efeito de paralelismo em cada poema se torna possível a partir da retomada, estrofe a estrofe, do mesmo tipo de frase adotado na estrofe inicial (no poema de Airas Nunes, por exemplo, a retomada da frase imperativa), aponte o tipo de frase que Cecília Meireles retomou de estrofe a estrofe para possibilitar tal efeito.
b) estabeleça as identidades que há entre o terceiro verso da cantiga de Airas Nunes e o terceiro verso do poema de Cecília Meireles no que diz respeito ao número de sílabas e às posições dos acentos.




resposta:a) Cecília Meireles retomou, de estrofe a estrofe, a oração subordinada adverbial condicional.
Estas orações aparecem no 2¡. verso da 1 estrofe e, de corpo inteiro, na 2 e na 3 estrofe.
Também aparece na penúltima estrofe, numa estrutura mais simples em que a condição é veiculada por meio da preposição "sem".

b) Com relação à metrificação, os versos indicados nos dois textos são idênticos, ou seja, são hendecassílabos, com acentos nas quintas e nas décimas primeiras sílabas.

origem:Unesp
tópico:
Literatura

sub-grupo:Trovadorismo

pergunta:As cantigas que focalizam temas amorosos apresentam-se em dois gêneros na poesia trovadoresca: as "cantigas de amor", em que o eu-poemático representa a figura do namorado (o "amigo"), e as "cantigas de amigo", em que o eu-poemático representa a figura da mulher amada (a "amiga") falando de seu amor ao "amigo", por vezes dirigindo-se a ele ou dialogando com ele, com outras "amigas" ou, mesmo, com um confidente (a mãe, a irmã, etc.). De posse desta informação,
a) classifique a cantiga de Airas Nunes em um dos dois gêneros, apresentando a justificativa dessa resposta.
b) identifique, levando em consideração o próprio título, a figura que o eu-poemático do poema de Cecília Meireles representa.




resposta:a) A cantiga pode ser classificada como um tipo de "Cantiga de Amigo" conhecido como "Bailia ou Bailada das Avelaneiras". Características que evidenciam esta classificação são: presença do eu-lírico feminino, insinuação de sensualidade, paralelismo e refrão.

b) O eu-poemático do texto pode ser representado pela mãe ou por uma amiga da moça, interpelando-a com relação ao namorado.
O enunciado ajuda na resolução do problema e faz com que o título colabore na identificação, pois, por meio dele, pode-se perceber no eu-poemático a figura de um confidente ou de um religioso que auxilia a moça no que diz respeito ao seu envolvimento amoroso, mostrando a ela os perigos do amor.

origem:Pucsp
tópico:
Literatura

sub-grupo:Trovadorismo

pergunta:O teatro de Gil Vicente caracteriza-se por ser fundamentalmente popular. E essa característica manifesta-se, particularmente, em sua linguagem poética, como ocorre no trecho a seguir, de "O Auto da Barca do Inferno".

Ó Cavaleiros de Deus,
A vós estou esperando,
Que morrestes pelejando
Por Cristo, Senhor dos Céus!
Sois livres de todo o mal,
Mártires da Madre Igreja,
Que quem morre em tal peleja
Merece paz eternal.

No texto, fala final do Anjo, temos no conjunto dos versos
a) variação de ritmo e quebra de rimas.
b) ausência de ritmo e igualdade de rimas.
c) alternância de redondilha maior e menor e simetria de rimas.
d) redondilha menor e rimas opostas e emparelhadas.
e) igualdade de métrica e de esquemas das palavras que rimam.




resposta:[E]

origem:Pucsp
tópico:
Literatura

sub-grupo:Trovadorismo

pergunta:Gil Vicente escreveu o "Auto da Barca do Inferno" em 1517, no momento em que eclodia na Alemanha a Reforma Protestante, com a crítica veemente de Lutero ao mau clero dominante na igreja. Nesta obra, há a figura do frade, severamente censurado como um sacerdote negligente. Indique a alternativa cujo conteúdo NÃO se presta a caracterizar, na referida peça, os erros cometidos pelo religioso.
a) Não cumprir os votos de celibato, mantendo a concubina Florença.
b) Entregar-se a práticas mundanas, como a dança.
c) Praticar esgrima e usar armamentos de guerra, proibidos aos clérigos.
d) Transformar a religião em manifestação formal, ao automatizar os ritos litúrgicos.
e) Praticar a avareza como cúmplice do fidalgo, e a exploração da prostituição em parceria com a alcoviteira.




resposta:[E]