Banco de dados de questões do vestibular Ufba
questões de vestibulares
|
 

Questões Ufba

REF. Pergunta/Resposta
origem:Ufba1996
tópico:
Interpretacao

sub-grupo:

pergunta:Estão presentes na composição do texto:

(01) impressões pessoais do narrador face a uma de suas experiências do passado.
(02) divagações do narrador, estimuladas por uma informação recebida.
(04) evocações saudosistas da infância do narrador numa pequena povoação de Goiás.
(08) reflexões do narrador a respeito do homem e dos valores atribuídos a bens materiais.
(16) hipóteses sobre as causas de um fenômeno estranho e suas possíveis implicações.
(32) considerações em torno de diferentes visões de mundo.

Soma ( )



resposta:
01 + 02 + 08 + 32 = 43

origem:Ufba1996
tópico:
Interpretacao

sub-grupo:

pergunta:Para "esses goianos" (parágrafo 4) o sino de ouro constitui:

(01) objeto de valor ornamental.
(02) concretização do desejo de imortalidade.
(04) expressão de um estado de espírito.
(08) instrumento de elevação espiritual.
(16) objeto de ostentação de riqueza material.
(32) símbolo de uma proposta de paz universal.

Soma ( )



resposta:
04 + 08 = 12

origem:Ufba1996
tópico:
Interpretacao

sub-grupo:

pergunta:Caracteriza o modo de ser dos habitantes do pequeno povoado:

(01) rejeição ao progresso, decorrente de experiências negativas vivenciadas nos contatos com a civilização.
(02) atitude existencial marcada pela serenidade, fruto da consistência de valores espirituais interiorizados.
(04) dificuldade de compreensão das conquistas do mundo moderno, por força do dogmatismo religioso.
(08) predisposição para assimilar novos valores, dificultada pelo isolamento geográfico em que vivem.
(16) incerteza quanto aos benefícios do progresso e às vantagens do isolamento.
(32) concepção da divindade como merecedora de dádivas de suprema pureza e infinito júbilo.
(64) desprendimento das conquistas materiais, decorrente da plena satisfação de suas necessidades espirituais.

Soma ( )



resposta:
02 + 64 = 66

origem:Ufba1996
tópico:
Gramatica

sub-grupo:Vocabulário

pergunta:Há correspondência entre as expressões transcritas e o sentido sugerido, em:

(01) "... fundo do sertão..." (p.1);
"... deserto carrascal..." (p.3) - isolamento, grande distância.

(02) "Lembrança de antigo esplendor..." (p.2);
"... tempos de antigamente." (p.2) - passado remoto e indefinido.

(04) "... murmúrio temeroso e agônico..." (p.3);
"... ventre negro..." (p.3) - revolta e protesto.

(08) "... olhar aceso de ambição..." (p.4);
"... voz alta e fácil..." (p.4) - insensibilidade e esperteza.

(16) "... olhar lento e indefinível sorriso..."(p.4);
"... modesto silêncio." (p.4) - ironia e falta de comunicação.

Soma ( )



resposta:
02 + 04 + 08 = 14

origem:Ufba1996
tópico:
Gramatica

sub-grupo:Verbos - tempo e modo

pergunta:Há correspondência entre as expressões verbais citadas e a afirmação feita, em:

(01) "Contaram-me" (p.1) ;
"contou" (p.6) - indicam diferentes momentos da ação.

(02) "pode ser" (p.1) ;
"tivesse" (p.3) - contêm idéia de possibilidade.

(04) "é pequena" (p.1) ;
"continua pequena" (p.4) - indicam respectivamente estado permanente e permanência de estado.

(08) "vai voando" (p.3) ;
"avança" (p.3) - indicam ações que se desenvolvem continuamente.

(16) "esperam" (p.3);
"sabem" (p.3) - referem-se ao mesmo agente.

(32) "vem" (p.4);
"propõe"(p.4) - seriam substituídas por vir e propor, para indicar ação futura.

Soma ( )



resposta:
02 + 04 + 08 = 14

origem:Ufba1996
tópico:
Gramatica

sub-grupo:

pergunta:Há uma estrutura frasal constituída de sujeito, predicado, complemento verbal, adjunto adverbial, independentemente da ordem, em:

(01) "... eu esqueço o nome das vilas e a fisionomia dos irmãos..." (p.1)
(02) "... ali tem - coisa bela e espantosa - um grande sino de ouro." (p.1)
(04) "É apenas um sino, mas é de ouro." (p.3)
(08) "... ele dá cada dia sua ração de alegria." (p.3)
(16) "... esses goianos olham o forasteiro com um olhar lento..." (p.4)
(32) "... e a povoação continua pequena, humilde e mansa..." (p.4)
(64) "O homem velho me contou isso com espanto e desprezo." (p.6)



resposta:
08 + 16 + 64 = 88

origem:Ufba1996
tópico:
Gramatica

sub-grupo:

pergunta:Observa-se subordinação entre orações, na estrutura do período, em:

(01) "... esqueço os mandamentos e as cartas e até a amada que amei com paixão..." (p.1)
(02) "É apenas um sino, mas é de ouro." (p.3)
(04) "E a cada um daqueles homens pobres ele dá cada dia sua ração de alegria." (p.3)
(08) "E se Deus não existe não faz mal." (p.5)
(16) "Não sei se isso acontece em Porangatu, Uruaçu ou outra cidade do sertão." (p.5)

Soma ( )



resposta:
01 + 08 + 16 = 25

origem:Ufba1996
tópico:
Literatura

sub-grupo:Realismo/Naturalismo/Parnasianismo

pergunta:O Realismo é uma reação contra o Romantismo: o Romantismo era a apoteose do sentimento; - o Realismo é a anatomia do caráter. É a crítica do homem. É a arte que nos pinta a nossos próprios olhos - para condenar o que houve de mau na nossa sociedade.
(Eça de Queirós, apud NICOLA, José de. LITERATURA BRASILEIRA: DAS ORIGENS AOS NOSSOS DIAS. 2 ed. São Paulo-. Scipione, 1990. p. 115.)

O Realismo pode ser exemplificado por:

(01) "... ela era o calor vermelho das sestas da fazenda; [...] era o veneno e era o açúcar gostoso; era o sapoti mais doce que o mel e era a castanha do caju, que abre feridas com o seu azeite de fogo; ela era a cobra verde e traiçoeira, a lagarta viscosa, a muriçoca doida, que esvoaçava havia muito tempo em torno do corpo dele, assanhando-lhe os desejos..."

(02) "... o olhar fulgurante, sob a crispação áspera dos supercílios de monstro japonês, penetrando de luz as almas circunstantes - era a educação da inteligência; o queixo, severamente escanhoado, de orelha a orelha, lembrava a lisura das consciências limpas - era a educação moral."

(04) "A flauta soltou o cintilante prelúdio de uma valsa de Strauss.
Os valsistas afamados deixaram-se ficar de parte, sem dúvida para se fazerem desejar. Os caloiros e a gente de encher hesitavam em tomar a dianteira..."

(08) "Eu sabia que era bela; mas a minha imaginação apenas tinha esboçado o que Deus criara.
Ela olhava-me e sorria.
Era um ligeiro sorriso, uma flor que desfolhava-se nos seus lábios, um reflexo que iluminava o seu lindo rosto.
Seus grandes olhos negros fitavam em mim um desses olhares lânguidos e aveludados que afagam os seios d'alma."

(16) "Ali está ela na solidão de seus campos, talvez menos alegre, porém, certamente, mais livre; sua alma é todos os dias tocada dos mesmos objetos: ao romper d'alva, é sempre e só a aurora que bruxoleia no horizonte; durante o dia, são sempre os mesmos prados, os mesmos bosques e árvores; de tarde, sempre o mesmo gado que se vem recolhendo ao curral; à noite, sempre a mesma lua que prateia seus raios à lisa superfície do lago!"

(32) "A praça da Alegria apresentava um ar fúnebre. De um casebre miserável, de porta e janela, ouviam-se gemer os armadores enferrujados de uma rede e uma voz tísica e aflautada, de mulher, cantar em falsete a 'gentil Carolina era bela'; doutro lado da praça, uma preta velha, vergada por imenso tabuleiro de madeira, sujo, seboso, cheio de sangue e coberto por uma nuvem de moscas, apregoava em tom muito arrastado e melancólico: 'Fígado, rins e coração!' Era uma vendedeira de fatos de boi."

Soma ( )



resposta:
01 + 02 + 32 = 35

origem:Ufba1996
tópico:
Literatura

sub-grupo:Romantismo

pergunta:Há correspondência entre o estilo literário indicado e o trecho transcrito, em:

(01) Arcadismo -

"Vinte anos! derramei-os gota a gota
Num abismo de dor e esquecimento...
De fogosas visões nutri meu peito...
Vinte anos!... não vivi um só momento!"

(02) Romantismo -

"Pensamento gentil de paz eterna,
Amiga morte, vem. Tu és o termo
De dois fantasmas que a existência formam,
- Dessa alma vã e desse corpo enfermo."

(04) Parnasianismo -

"Esta de áureos relevos, trabalhada
De divas mãos, brilhante copa, um dia,
Já de aos deuses servir como cansada,
Vinda do Olimpo, a um novo deus servia."

(08) Parnasianismo -

"Sonho Profundo, ó Sonho doloroso,
doloroso e profundo Sentimento!
Vai, vai nas harpas trêmulas do vento
chorar o teu mistério tenebroso."

(16) Romantismo -

"Com o tempo, que tudo desbarata,
Teus olhos deixarão de ser estrelas;
Verás murchar no rosto as faces belas,
E as tranças d'oiro converter-se em prata."

(32) Arcadismo -

"Ao mundo esconde o Sol seus resplendores,
e a mão da Noite embrulha os horizontes-,
não cantam aves, não murmuram fontes,
não fala Pã na boca dos pastores."

Soma ( )



resposta:
02 + 04 = 06

origem:Ufba1996
tópico:
Literatura

sub-grupo:Teoria Literária

pergunta:O Modernismo apresenta três momentos diversos, exemplificados nos textos A, B e C.

Texto A -
"Um gatinho faz pipi.
Com gestos de garçon de restaurant-Palace
Encobre cuidadosamente a mijadinha.
Sai vibrando com elegância a patinha direita:
- É a única criatura fina na pensãozinha burguesa."

Texto B -
"O inventor das máquinas que mudam a vida da terra
trabalha na bruta sala de cimento armado.
Tantos dínamos, êmbolos, cilindros mexem naquela cabeça
que ele não escuta o barulho macio
das almas penadas
esbarrando nos móveis."

Texto C -
"Na paisagem do rio
difícil é saber
onde começa o rio;
onde a lama
começa do rio;
onde a terra
começa da lama;
onde o homem,
onde a pele
começa da lama;
onde começa o homem
naquele homem."

Há correspondência entre as características apresentadas e o texto indicado, em:

(01) Cosmovisão e universalismo; Linguagem conotativa sensorial. - Texto A
(02) Atitude crítica frente ao capitalismo; Atenção para os paradoxos do mundo. - Texto B
(04) Preocupação com o destino do homem; Apuro formal. - Texto C
(08) Antiacademicismo; lrreverência. - Texto A
(16) Valorização do cotidiano; Uso da descrição detalhada. - Texto B
(32) Ironia; Valorização do eu lírico. - Texto C

Soma ( )



resposta:
02 + 08 = 10

origem:Ufba1996
tópico:
Interpretacao

sub-grupo:

pergunta:O texto se caracteriza por:

(01) Inversão da seqüência lógica da narrativa, para expressar a dimensão caótica da realidade.
(02) Desenvolvimento de um processo narrativo-reflexivo que conduz à fixação de um momento de plena realização.
(04) Cumplicidade entre narrador e personagem, expressa pela parcialidade com que os fatos são apresentados.
(08) Ausência de fio condutor da narrativa, constituída de reflexões não vinculadas a espaço ou a tempo.
(16) Presença de situações contrastantes, que revelam a angústia existencial da personagem.
(32) Expressão subjetiva de fatos e sensações evocados pelo fluxo da memória.
(64) Utilização do tempo cronológico, vinculado aos fatos objetivos, externos à personagem.

Soma ( )



resposta:
02 + 16 + 32 = 50

origem:Ufba1996
tópico:
Interpretacao

sub-grupo:

pergunta:Há correspondência entre o trecho em destaque e a caracterização indicada, em:

(01) "... a capacidade de prazer que era secreta em mim." (parágrafo 1) - INTROSPECÇÃO
(02) "No entanto, na realidade, eu dele pouco participava. Nunca tinha ido a um baile infantil, nunca me haviam fantasiado." (parágrafo 2) - REVOLTA
(04) "... eu era de tal modo sedenta que um quase nada já me tornava uma menina feliz." (parágrafo 2) - CARÊNCIA
(08) "... eu me sentia bonita e feminina, eu escapava da meninice." (parágrafo 4) - FUGA
(16) "... eu não conseguia acreditar que tanto me fosse dado..." (parágrafo 5) - ORGULHO
(32) "... mas ah! Deus nos ajudaria! não choveria" (parágrafo 7) - CONFORMISMO
(64) "Muitas coisas que me aconteceram tão piores que estas, eu já perdoei." (parágrafo 9) - CETICISMO

Soma ( )



resposta:
04

 


Próxima Página »

Página 1 de 2