Banco de dados de questões do vestibular Ufpel
questões de vestibulares
|
 

Questões Ufpel

REF. Pergunta/Resposta
origem:Ufpel2000
tópico:
Interpretacao

sub-grupo:

pergunta:A compreensão de um texto não decorre apenas da decodificação pura e simples dos itens lingüísticos nele contidos. Na realidade, ao ler, o leitor deixa aflorar seu conhecimento de mundo, suas crenças, suas vivências, que possibilitam conexões entre os enunciados e o levam a construir o sentido do texto que leu. Uma das características do leitor proficiente é a capacidade de interpretar gráficos. Demonstre que você domina a habilidade de leitura, inferindo corretamente os resultados expressos no gráfico a seguir:

Uma pesquisa encomendada pela entidade Parceria Contra as Drogas entrevistou 700 pessoas, entre 13 e 21 anos, de cinco cidades há três anos e obteve os seguintes resultados:

Fonte: "Zero Hora", 26.06.99

De acordo com os dados representados no gráfico, pode-se dizer que
a) a descoberta do novo sempre atraiu o homem a aventuras cujas conseqüências, muitas vezes, são desconsideradas em virtude do prazer do desconhecido, sendo esse o motivo para que de noventa a cem jovens recorram às drogas.
b) como todo ser em formação, a maior parte dos jovens procura uma maneira de afirmar-se em seu grupo, recorrendo, para isso, ao uso de psicotrópicos.
c) não é verdadeira a argumentação de que o maior contingente de jovens, rebeldes por natureza, procura nas drogas formas de transgredir normas sociais.
d) a orientação familiar não seria uma das primeiras providências no combate ao vício, uma vez que não está na família a causa principal de o jovem se envolver com drogas.
e) são de toda ordem as causas que levam o jovem ao consumo de drogas; com exceção dos problemas com a família, essa diversidade, somada, representa mais de ¤/„ do total de entrevistados.


resposta:
[C]

origem:Ufpel2000
tópico:
Interpretacao

sub-grupo:

pergunta:Na publicação VEJA/25 ANOS: REFLEXÕES PARA O FUTURO, da Editora Abril, aparece um artigo intitulado. "O nó e o ninho", de autoria de Michelle Perrot, no qual a autora aborda o processo de pulverização da família brasileira. Desse artigo foi retirado o trecho a seguir:

1 Sobrecarregada de tarefas, a família do século XIX ostentava-se em majestade, triunfal e triunfante. O Estado pouco intervinha, mas se preocupava cada vez mais com ela, controlando particularmente as famílias populares, suspeitas de não cumprir bem o seu papel. ¥Se a família pobre fazia ¢isso, então o Estado entrava em ação.
2 Essa família celebrada, santifica, fortalecida era também uma família patriarcal, dominada pela figura do pai. £Da família ele era a honra¦- dando-¤lhe seu nome - o chefe e o gerente. Encarnava e representava o grupo familiar. Os interesses desse grupo sempre prevaleciam sobre as aspirações dos membros que o compunham.

Assinale a alternativa que NÃO está de acordo com o texto.
a) A palavra ISSO (ref. 1) refere-se ao não cumprimento do seu papel, por parte da família pobre do século XIX.
b) A preposição DE, contida na palavra DA (de+a), na (ref. 2), estabelece uma relação de dependência entre os termos "a figura do pai" e "família".
c) Os pronomes LHE e SEU (ref. 3) remetem, respectivamente, a "família" e "pai".
d) O anexo SE (ref. 4) pode ser substituído, sem prejuízo de sentido, com algum ajuste na estrutura da frase, por CASO.
e) Os travessões que aparecem isolando a expressão "dando-lhe o seu nome" (ref. 5) podem ser substituídos por vírgulas.



resposta:
[B]

origem:Ufpel2000
tópico:
Interpretacao

sub-grupo:

pergunta:O cineasta Cacá Dieguez escreveu um artigo sob o título "O futuro passou", no qual lança o desafio da possível construção de um novo Brasil. Desse texto, foi retirado o fragmento a seguir:

Para nós, durante a ditadura, o futuro, como tantos brasileiros, estava apenas exilado temporariamente: ele voltaria nos braços da democracia restabelecida. Pensávamos, naqueles tristes momentos, que, derrubado o muro da ditadura, ______________ de novo a estrada interrompida, ao longo da qual todos os problemas seriam resolvidos . Não sabíamos que o país ________________ a inocência, para sempre. Se tivéssemos prestado mais atenção à história da Colônia, do Império, da República Velha, ________________ que o Brasil nunca foi muito diferente do que hoje é.

Assinale a alternativa com as formas verbais que preenchem as lacunas de acordo com a norma padrão.
a) encontraríamos - perdera - viríamos
b) encontrássemos - perdeu - veríamos
c) íamos encontrar - tinha perdido - havíamos visto
d) encontraríamos - havia perdido - teríamos visto
e) encontrássemos - perderia - viríamos



resposta:
[D]

origem:Ufpel2000
tópico:
Interpretacao

sub-grupo:

pergunta:Na imprensa brasileira, por ocasião das eleições de 1994, a UNICEF e a Fundação Odebrecht, sob o título "Você acha normal que uma criança carente fracasse na escola? Nós não.", advertem os eleitores a respeito do cuidado com a escolha dos seus candidatos. O trecho abaixo foi retirado dessa publicação:

1 Os altos índices de repetência escolar só não são mais perversos que o conformismo de nossa sociedade com esse absurdo que está presente, de modo significativo, entre as classes sociais mais ricas e, de modo esmagador, entre as classes mais pobres.
2 A verdade é que o fracasso na escola passou a ser encarado de forma tão natural que agora já faz parte da nossa cultura, de forma tão natural quanto a chuva, o sol, o calor e o frio. (...)
3 O pior é que a responsabilidade da cultura da repetência é atribuída, via-de-regra, quase sempre às duas grandes vítimas desse monstrengo caótico que virou o ensino brasileiro: a criança e o professor. (...)
4 A vontade política e a criatividade do povo comprovam, em algumas experiências, que é possível o Brasil mudar esse quadro.
5 Estamos às vésperas de uma eleição e o nosso voto pode contribuir decisivamente para que a escola volte a ser grande solução do Brasil e deixe de ser apenas mais um problema.

Marque a alternativa que NÃO está de acordo com o texto.
a) Para o autor do texto, o problema da repetência será resolvido com vontade política e criatividade por parte do povo brasileiro.
b) A seqüência "o fracasso na escola passou a ser encarado de forma tão natural que agora já faz parte de nossa cultura" (par. 2) pode ser substituída, sem prejuízo do sentido global, por "como o fracasso na escola passou a ser encarado de forma muito natural, agora já faz parte de nossa cultura".
c) A expressão "duas grandes vítimas desse monstrengo caótico" (par. 3) remete a termos posteriores a ela.
d) As expressões "volte a ser" (par. 5) e "deixe de ser" (par. 5) levam, respectivamente, à dedução de que a escola já foi a grande solução do Brasil e de que há necessidade de que não seja mais um problema.
e) O conformismo de nossa sociedade é menos perverso do que os altos índices de repetência escolar.



resposta:
[E]

origem:Ufpel2000
tópico:
Literatura

sub-grupo:Modernismo

pergunta:Leia com atenção a seguinte passagem, retirada do livro "Para entender o texto - leitura e redação", de Platão & Fiorin, Editora Ática.

"Com muita freqüência um texto retoma passagens de outro. Quando um texto de caráter científico cita outros textos, isso é feito de maneira explícita. O texto citado vem entre aspas e em nota indica-se o autor e o livro donde se extraiu a citação.
Num texto literário, a citação de outros textos é implícita, ou seja, um poeta ou romancista não indica o autor e a obra donde retira as passagens citadas, pois pressupõe que o leitor compartilhe com ele um mesmo conjunto de informações a respeito das obras que compõem um determinado universo cultural. Os dados a respeito dos textos literários, mitológicos, históricos são necessários, muitas vezes, para a compreensão global de um texto.
A essa citação de um texto por outro, a esse diálogo entre textos dá-se o nome de intertextualidade.
(...)
Um texto cita outra com, basicamente, duas finalidades distintas:
a) para reafirmar alguns dos sentidos do texto citado;
b) para inverter, contestar e deformar alguns dos sentidos do texto citado; para polemizar com ele".

Com base nisso, observe os três textos a seguir:

TEXTO 1:

Pescador tão entretido
numa pedra ao sol,
esperando o peixe ferido
pelo teu anzol,

há um fio do céu descido
sobre o teu coração:
de longe estás sendo ferido
por outra mão.

MEIRELES, Cecília. "Flor de poemas". 3 edição - Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1972. p.162

TEXTO 2:

"tô descendo a serra
cego pela serração*
salvo pela imagem
pela imaginação
de uma bailarina no asfalto
fazendo curvas sobre patins

tô descendo a serra
cego pela neblina
você nem imagina
como tem curvas esta estrada
ela parece uma serpente morta
às portas do paraíso

o inferno ficou para trás
com as luzes lá em cima
o céu não seria rima
nem seria solução"
* (sic)

Engenheiros do Hawai

TEXTO 3:

Relacionando o fragmento extraído de Platão & Fiorin, o seu conhecimento e os textos apresentados, podemos afirmar que
a) no texto 3, não se evidencia intertextualidade, pois ela ocorre somente entre textos literários.
b) nos textos 1 e 2 evidencia-se intertextualidade: esses textos remetem, respectivamente, a "No meio do caminho" e "Confidência de Itabirano", de Drummond.
c) no texto 1 evidencia-se intertextualidade: ele remete a "No meio do caminho", de Drummond.
d) nos textos 2 e 3 evidencia-se intertextualidade: esses textos remetem, respectivamente, a "Poema de sete faces" e "No meio do caminho", de Carlos Drummond de Andrade.
e) no texto 2, evidencia-se intertextualidade: ele remete a "Confidência de Itabirano", de Drummond.


resposta:
[D]

origem:Ufpel2000
tópico:
Interpretacao

sub-grupo:

pergunta:A revista "Época" de 22 de março de 1999 publicou uma matéria sobre a aprovação, por parte de vereadores de várias cidades do Brasil, de leis restritivas aos cães ferozes como o Pitbull - através de medidas como castração ou obrigatoriedade de focinheiras - devido a vários incidentes com raças consideradas violentas. O pânico que esses incidentes estavam causando à população levou a classe política a se mobilizar.
O título dessa matéria, "A lei, enfim, mostra os dentes", demonstrou extrema criatividade, evidenciando um recurso hoje bastante utilizado pela imprensa: o de fazer o título chamativo à atenção do leitor através da instauração de um jogo semântico entre as palavras do título e o conteúdo da matéria. Esse "jogo", no caso acima, baseia-se na relação entre a violência de determinadas raças de cães, animais que usam os dentes para atacar, e a expressão "mostrar os dentes", que pode conotar, em determinado contexto, agressividade, preparação para o ataque, exatamente o que a lei estava demonstrando após um período de análise.

Observe que um título tradicional possível, como "Leis restringem liberdade dos cães" ou "Vereadores aprovam sanções contra cães violentos", seria muito menos atraente e sugestivo ao leitor.

A seguir apresentamos títulos e respectivos conteúdos das matérias a que se referem. Assinale a alternativa cujo título NÃO se utiliza do recurso semântico descrito acima.

a) "Mãos à obra" ("Veja", 14.4.99) - sete irmãs capixabas, em Nova York, fazem sucesso com serviços de manicure, pedicure e depilação.
b) "No fio da navalha" (ZH, 18.4.99) - devido à pressão por causa dos vinte anos de jejum de títulos da Ferrari, a mais lendária das equipes de Fórmula 1, Schumacher arrisca a própria vida nas pistas para superar as limitações do seu carro.
c) "Barraco no templo" ("Veja", 9.12.98) - na disputa pelo comando de seita sul-coreana, monges budistas de facções diferentes envolvem-se em tumulto no templo central.
d) "A Justiça no banco dos réus" ("Época", 22.3.99) - Governo, Congresso e opinião pública apontam para problemas do judiciário, como lentidão, ineficácia e custo oneroso.
e) "O peixão da rede" ("Veja", 14.4.99) - como Jeff Bezos ganhou bilhões de dólares, via internet, com a livraria virtual Amazon.



resposta:
[B]

origem:Ufpel2000
tópico:
Interpretacao

sub-grupo:

pergunta:Leia o texto a seguir ("Diário Popular", 8/6/1999).

UTI - Móvel sofre acidente / Veículo-ambulância usado em socorro atropela ciclista

O acidente envolvendo a nova UTI Móvel da PRF (Polícia Rodoviária Federal), que resultou na morte de um ciclista sexta-feira à noite, atropelado pelo veículo enquanto transitava no quilômetro 512 da BR-116, resultará em inquérito para averiguar as circunstâncias do caso. É o procedimento adotado neste tipo de situação, informou o inspetor Carlos Alberto Bahr Fernandes.
A ambulância havia sido acionada para atender a acidente no quilômetro 524. No deslocamento, um ciclista atravessou a pista e foi colhido pelo carro, morrendo na hora.
Os danos na UTI Móvel foram de pequena monta, na parte dianteira do veículo. Segundo o policial rodoviário, o pára-brisa ficou quebrado. O conserto, agora, dependerá de autorização do comando, que receberá, também, relatório e fotos do acidente. Por enquanto, a ambulância não será usada em serviço. As demais unidades da frota da PRF dispõem de equipamentos para o transporte de feridos.

Quando lemos um texto, podemos fazer leituras com diferenciados graus de profundidade. O texto acima comporta leituras, dentre tantas outras possíveis, como as que seguem.

I - O texto refere-se a um acidente que envolveu a UTI Móvel da Polícia Rodoviária Federal e um ciclista, que morreu vítima do atropelamento; houve, em conseqüência do acidente, danos de pequeno valor no veículo. Em virtude do acontecimento, a ambulância não será usada em serviço, mas as demais unidades da PRF estão em condições de transportar feridos.
II - O texto foi construído para informar que a nova UTI Móvel da PRF ficou danificada em acidente. Há muitas informações sobre a ambulância, mas da vítima não sabemos sequer o nome: é apresentada apenas como "um ciclista". A matéria não coloca a vida humana em primeiro lugar.
III - No texto fica implícito que o motorista não ficou ferido.
IV - O texto permite-nos inferir que provavelmente um policial rodoviário estivesse conduzindo o veículo.

Se reordenássemos os itens acima expressos, do nível de leitura menos profundo ao mais profundo, ou seja, dos itens mais explícitos aos menos explícitos, a ordem seria
a) I, II, IV, III.
b) I, IV, III, II.
c) III, I, II, IV.
d) II, III, IV, I.
e) IV, I, III, II.



resposta:
[B]

origem:Ufpel2000
tópico:
Literatura

sub-grupo:Modernismo

pergunta:Os nomes das personagens podem constituir-se num valioso recurso do autor para conotar aspectos de suas personalidades. Como exemplo disso, podemos citar Quitéria Campolargo, personagem que representava a aristocracia rural em "Incidente em Antares", de Érico Veríssimo.
Nos romances indicados para esta prova, os nomes de personagens, de locais, etc. também parecem não ter sido escolhidos aleatoriamente pelos autores, mantendo, assim, relação com características que são evidenciadas na obra.

Assinale a alternativa em que há uma relação impossível de ser justificada.
a) São Bernardo é o nome da fazenda que era a ambição de Paulo Honório. O nome de santo da terra demonstra um paradoxo entre a "santidade" da terra e a postura de quem por ela oprime.
b) Policarpo, segundo o dicionário Aurélio, significa " (Bot.). Que tem ou produz muitos frutos". Tal escolha denota uma ironia de Lima Barreto para com seu protagonista, pois do ufanismo de Policarpo não resulta nenhuma melhoria ou utilidade ao país.
c) Blau, segundo o dicionário, significa "(heráld.) Diz-se da cor azul dos brasões" e Nunes, "Ímpar. O número ímpar". Podemos entender, pois, que Blau Nunes seria um "nobre errante" que conta suas histórias.
d) Palha, marido de Sofia em Quincas Borba, é um sujeito de pouco valor, que quase nada faz para evitar a ruína de Rubião, que tanto o ajudou.
e) Sofia quer dizer sabedoria, em grego, daí filosofia - amigo da sabedoria. A personagem Sofia, de Quincas Borba, demonstra um saber, um poder de manipular, como no caso em que vê, na atração de Rubião, uma oportunidade de ela e Palha obterem vantagens.



resposta:
[C]

origem:Ufpel2000
tópico:
Literatura

sub-grupo:Modernismo

pergunta:Ao preparar-se para a prova de literatura, você deve ter lido o seguinte poema de Carlos Drummond de Andrade:

Quadrilha

João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém.
João foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto
Fernandes

A interpretação que você faz de uma obra literária baseia-se no seu grau de leitura, de conhecimento, de amadurecimento pessoal e nas experiências que você já teve ou sobre as quais já pensou, desde que ela mantenha coerência com o texto.

Nas alternativas abaixo, apresentamos algumas interpretações possíveis para "Quadrilha". Cabe a você, refletindo sobre elas, assinalar aquela que NÃO apresenta coerência com o texto e com seus conhecimentos de literatura.
a) A estrutura oracional do poema, em que o objeto de um verbo está representado no sujeito do verbo seguinte, remete-nos à dança em que há uma constante troca de pares. Essa idéia é reforçada pelo título.
b) O ponto final, no terceiro verso, indica a "quebra", o limite entre o mundo das lembranças, dos sonhos (antes do sinal de pontuação) e o da realidade (depois dele).
c) Lili, a única na trama que não amava ninguém, casou-se por interesse, uma vez que o seu par é indicado pelo sobrenome.
d) As personagens que antes apareciam com suas vidas entrelaçadas, ao final dispersam-se, o que conota a idéia de desencontro, tema bastante presente na poética do autor.
e) O eu-lírico do poema aparece com o nome de J. Pinto Fernandes, daí o conteúdo do último verso, já que o eu-lírico é uma entidade externa ao poema.



resposta:
[E]