Banco de dados de questões do vestibular Ufrj
questões de vestibulares
|
 

Questões Ufrj

REF. Pergunta/Resposta
origem:Ufrj1996
tópico:
Gramatica

sub-grupo:Ortografia

pergunta:As conjunções "mas" e "e" , que iniciam o segundo e o terceiro períodos, são especialmente importantes na ESTRUTURAÇÃO e no SENTIDO DO TEXTO. Explique por quê.



resposta:
A conjunção "mas" introduz a noção de contraste entre a caracterização "à primeira vista" e a que se faz a seguir. A conjunção "e" adiciona características que reiteram o contraste.

origem:Ufrj1996
tópico:
Gramatica

sub-grupo:Ortografia

pergunta:Confronte os trechos destacados nos trechos A e B.

A
"apesar da aparência DE VELHO"

B
"seu aspecto era DE UM VELHO COMO TANTOS OUTROS"

"maroto como o DE UM VELHINHO BEM-HUMORADO"


a) Como se justifica a ausência de artigo no trecho destacado no trecho A?
b) No trecho B, o artigo indefinido tem seu sentido reiterado em um dos dois trechos destacados.
Que recurso lingüístico é responsável por essa reiteração? Explique sua resposta.



resposta:
a) Não se quis caracterizar o substantivo velho, deixando-o no sentido geral.

b) A comparação "como tantos outros". "Tantos outros" reitera o sentido de indeterminação do artigo indefinido.

origem:Ufrj1996
tópico:
Literatura

sub-grupo:Romantismo

pergunta:No poema, a saudade da amada (estrofes 1, 2 e 4) e a esperança do reencontro (estrofe 5) são temas que expressam uma ligação do homem romântico com o tempo.
Qual a relação entre esses temas, o estado de insatisfação do eu lírico e a ligação do sujeito romântico com o tempo?



resposta:
O homem romântico vive insatisfeito com a realidade que o circula, preferindo sempre o mundo ideal ao mundo real. Assim, o tempo preferido dos românticos é o passado, para o qual freqüentemente evadem, havendo também a possibilidade de uma satisfação de desejos futura na forma de esperança.

origem:Ufrj1996
tópico:
Literatura

sub-grupo:Romantismo

pergunta:Na literatura romântica, o homem coloca-se, com freqüência, numa posição simulada de vassalo, a cortejar e a adorar passivamente sua senhora, figura em geral idealizada.
Que função sintática revela esse posicionamento da figura masculina, no verso "Descansa-me no teu seio" (última estrofe)? Justifique sua resposta.



resposta:
O eu lírico revela sua passividade ao colocar-se sintaticamente como objeto direto de descansar, sofrendo o efeito da ação desencadeada por sua amada.

origem:Ufrj1996
tópico:
Interpretacao

sub-grupo:

pergunta:MAPA-MÚNDI

A facilidade de comunicações acabou com esses tanques em que floresciam as diferentes culturas. Quando antes se olhava o mapa-múndi e via-se cada país de um colorido diferente, podia-se tomar isso ao pé da letra. É verdade que o mundo continuou a ser uma colcha de retalhos; mas são todos da mesma cor. Bombaim, Roma Tóquio, que se escondiam, cada um com seu peculiar mistério, nos compartimentos estanques de sua própria civilização, agora, a julgar pelos filmes, estão perfeitamente padronizados, universalizados.
E, no mundo de hoje, para desconsolo dos descendentes de Sindbad e de Marco Pólo, a única cor local das cidades famosas são os turistas.
(QUINTANA, Mário. PROSA E VERSO. Compilação do autor. Porto Alegre: Globo, 1978.)

"ANTES"
"cada país de um colorido diferente"

"DEPOIS"
"Bombaim, Roma, Tóquio"[...]
"a julgar pelos filmes, estão perfeitamente padronizados, universalizados"

a) Os trechos anteriormente transcritos caracterizam um mundo de ANTES e um mundo de AGORA.
Segundo o texto, essa transformação apagou todos os traços originais que individualizavam e distinguiam cada país e cada cultura?
Retire do texto a frase que comprova sua resposta.
b) Explique, então, o efeito expressivo obtido com o emprego do advérbio "perfeitamente" em "agora, a julgar pelos filmes, estão perfeitamente padronizados, universalizados.".



resposta:
a) Sim, o autor considera que tudo está padronizado, tomando como referência o cinema.
"Bombaim, Roma ... estão perfeitamente padronizados, universalizados."

b) O emprego do advérbio "perfeitamente" confere certa ambigüidade: pode dar idéia de padronização sem defeitos ou de padronização total, cabal.

origem:Ufrj1996
tópico:
Gramatica

sub-grupo:Verbos - tempo e modo

pergunta:Na primeira estrofe, fala-se do passado como o tempo dos acontecimentos que deslizavam "lentos e longos".
O emprego do pretérito imperfeito e o uso do gerúndio reforçam essa idéia. Explique por quê.



resposta:
O pretérito imperfeito exprime um fato que não foi totalmente concluído no momento da fala; portanto, longo, lento.
O gerúndio dá a idéia de ação verbal em curso, reiterando a noção de acontecimentos longos.

origem:Ufrj1996
tópico:
Interpretacao

sub-grupo:

pergunta:a) O título estabelece relação mais estreita e específica com um dos versos do poema.
Transcreva esse verso.
b) Através do título, o poema apresenta ao leitor uma avaliação sobre o progresso.
Essa avaliação é negativa ou positiva? Justifique sua resposta.



resposta:
a) "Os aviões desceram e levaram os caminhos"

b) É negativa, pois o progresso está associado à idéia de rapinagem, de roubo.

origem:Ufrj1996
tópico:
Literatura

sub-grupo:Modernismo

pergunta:"e possa enfim o ferro
comer a ferrugem,"

Sabendo-se que habitualmente é a ferrugem que come o ferro, estabeleça a relação entre os versos anteriormente citados e o projeto modernista na literatura brasileira.



resposta:
Como na inversão do processo químico sugerida pelos versos, os modernistas queriam uma completa inversão de valores, propondo uma linguagem mais dinâmica, o fim da rigidez forma na poesia, etc. Enfim, queriam uma renovação radical na estética literária.

origem:Ufrj1996
tópico:
Interpretacao

sub-grupo:

pergunta:O pronome demonstrativo "essa" pode ter, dentre outras, as seguintes funções:
- indicar a localização no espaço em relação à segunda pessoa do discurso (perto da pessoa com quem se fala / a quem se escreve);
- lembrar ao ouvinte ou ao leitor algo já mencionado.

Após reler o início do poema de João Cabral, responda:
a) A qual dos empregos anteriormente descritos corresponde o uso do pronome demonstrativo no primeiro verso?
b) Justifique a resposta do item anterior e retire do poema o dado que a comprova.



resposta:
a) Lembrar ao ouvinte ou leitor algo já mencionado.

b) O poema tem como título "Cartão de Natal", que remete à idéia de nascimento de uma criança. O poema faz menção a isso.

origem:Ufrj1996
tópico:
Interpretacao

sub-grupo:

pergunta:Na segunda estrofe, apresentam-se os votos para o futuro numa perspectiva predominantemente pessimista ou otimista? Justifique a resposta, com suas palavras.



resposta:
A perspectiva é otimista, pois se espera que o sim possa comer o não, embora a presença dos advérbios "desta vez" e "enfim" denuncie uma história de insucessos.

origem:Ufrj1997
tópico:
comunicacao

sub-grupo:

pergunta:a) Apesar de apresentar o texto em terceira pessoa, em um momento a jornalista se inclui especificamente entre as mulheres modernas que lhe servem de tema.
Transcreva do primeiro parágrafo do texto o segmento que mostra essa inclusão.
b) A ironia é definida como "Modo de exprimir-se que consiste em dizer o contrário daquilo que se está pensando ou sentindo..."; transcreva do segundo parágrafo do texto a expressão que é considerada ironia segundo a definição dada.



resposta:
a) "... todas sabemos ..."
b) "... doc) "... doce organograma ..."

origem:Ufrj1997
tópico:
Gramatica

sub-grupo:

pergunta:"Patroa/empregada" (3¡. parágrafo) e "empregada-robô" (3¡. parágrafo) têm na grafia sinais (barra, hífen) de significados distintos.
Quais são esses significados, considerando-se as ocorrências destacadas?



resposta:
No primeiro caso, o valor da barra é de acréscimo, enquanto no segundo caso, o valor do hífen é de comparação.

 


Próxima Página »

Página 1 de 12